IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

"Ouvi muito Bonde do Tigrão", diz Zeca Dirceu, que discutiu com Guedes

O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) - Fátima Meira/Futura Press/Folhapress
O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) Imagem: Fátima Meira/Futura Press/Folhapress

Vinicius Konchinski

Colaboração para o UOL, em Curitiba

04/04/2019 20h27

O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) entrou em um bate-boca com o ministro da Economia, Paulo Guedes, após o provocar usando os termos "tigrão" e "tchutchuca", em referência a uma música de funk popular no início dos anos 2000. Em entrevista ao UOL, o deputado disse que não planejou usar a expressão. Não satisfeito com as respostas de Guedes, porém, resolveu chamar atenção do ministro relembrando uma música que ouviu muito na sua juventude.

"Ouvi muito isso aí quando tinha meus 18 anos", disse ele, que hoje tem 40.

Funk não é meu ritmo favorito. Sou mais do sertanejo, do eletrônico. Mas, na hora, puxei na minha memória a música e resolvi usar a expressão para chamar atenção.

Ao ouvir a provocação, Guedes respondeu: "tchutchuca é a sua mãe e a sua avó". Uma confusão se formou na Comissão de Constituição e Justiça e o debate sobre a reforma da Previdência foi encerrado.

Após 'tigrão' e 'tchutchuca', sessão na CCJ é encerrada e vira confusão

UOL Notícias

Para Zeca Dirceu, que é filho do ex-ministro José Dirceu, a reação de Guedes "evidenciou" seu despreparo. "Ele foi chamado de superministro. Responde pela economia, uma área tão importante para o país. Mostrou um desequilíbrio muito grande. Uma falta de habilidade", disse. "Estou no meu terceiro mandato como deputado federal. Nunca vi coisa parecida."

Zeca Dirceu disse ainda que Guedes usou a expressão como desculpa para deixar o debate da reforma da Previdência. Não contente porque deputados aliados ao governo não estariam o defendendo, Guedes teria resolvido encerrar a sessão por algo que "não é nada demais". "Usei tchutchuca no sentido de ser suave com os rentistas, os banqueiros. Já tigrão no sentido de ser duro com os mais pobres."

Ele ressaltou também que Guedes não pode se sentir tão ofendido já que faz parte da equipe do presidente Jair Bolsonaro (PSL). "O presidente não é sujeito gentil, vai. Nunca foi um lorde. Já falou coisas muito mais pesadas", disse o deputado, lembrando a polêmica postagem do "golden shower" no Carnaval.

Zeca disse não estar arrependido de ter colaborado para o encerramento do debate sobre a reforma da Previdência, a qual ele é contra. Disse que teve êxito. Por conta da repercussão do bate-boca, ele diz que atraiu a atenção dos trabalhadores, do povo, para um tema muito importante.

Quanto a Guedes, afirmou que o ministro já foi convidado para voltar à Câmara para novas discussões sobre a reforma. Zeca Dirceu prometeu questioná-lo novamente. "Vai ter que me olhar nos olhos."

Economia