IPCA
-0.04 Set.2019
Topo

Reforma da Previdência


Reforma incluirá estados, mas capitalização não deve entrar, diz Alcolumbre

Antonio Temóteo e Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

08/08/2019 14h49Atualizada em 08/08/2019 18h18

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou hoje que uma proposta paralela à da reforma da Previdência, apelidada de "PEC paralela", deve tramitar na Casa para tratar da aposentadoria de servidores dos estados e municípios. Segundo ele, porém, a capitalização não deve entrar nesse texto.

"Não é um assunto [capitalização] que está em voga, mas se algum senador levantar, vamos discutir", afirmou, ao chegar ao Senado.

Na véspera, após a aprovação do texto pela Câmara em segundo turno, o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) havia dito que o Senado poderia incluir os estados e a capitalização na proposta.

Entrega da proposta

"Já estou até com saudade dos debates", diz Maia

UOL Notícias

Mais cedo, Alcolumbre recebeu a proposta da reforma da Previdência de Maia, no gabinete da Presidência do Senado. "O Parlamento, a partir desta medida, se consolida como instituição forte e pilar da democracia", disse o senador.

Em seguida, ele dirigiu-se ao plenário para abrir a sessão e dar início à tramitação da proposta no Senado. Alcolumbre encaminhou o texto para análise da CCJ, sob o comando da senadora Simone Tebet (MDB-MS), e oficializou Tasso Jereissati (PSDB-CE) como relator do texto na comissão.

Reforma da Previdência começa a tramitar no Senado

UOL Notícias

Apesar da votação expressiva na Camara, Alcolumbre declarou que a reforma não é um tema simples. Segundo ele, foi necessário que os parlamentares entendessem a necessidade de equilibrar as contas públicas e garantir a aposentados das gerações futuras. "Previdência não é um assunto popular. É mexer com a vida das pessoas", disse.

(Com Agência Brasil)

Câmara encerra 2º turno da votação da reforma da Previdência

UOL Notícias

Mais Reforma da Previdência