PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Veja quais cuidados ter na hora de comprar os presentes de Natal

Presente de Natal - Thinkstock
Presente de Natal Imagem: Thinkstock

Thâmara Kaoru

Do UOL, em São Paulo

19/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Faça uma lista com o valor que pode gastar com cada parente e amigo
  • Lembre-se de outras dívidas e parcelamentos que fez antes do Natal
  • Promoções e cupons para concorrer a prêmios podem ser vilões

Quem está pensando em aproveitar os últimos dias antes do Natal para fazer as compras que faltam deve ter cuidado para que os presentes não estourem o orçamento e prejudiquem as contas no ano que vem.

"O fundamental é sempre estabelecer um limite antes de sair de casa e mapear quais são as prioridades. O Natal é uma data com um apelo emocional grande. Você pensa em tudo o que aconteceu ao longo do ano e quer agradar e impressionar. Existe uma tendência maior para a indisciplina financeira, pois tudo estimula o consumo", diz a planejadora financeira da Planejar Graziela Suman.

Para ajudar na hora das compras, o UOL conversou com Graziela, com Juliana Moya, especialista em Relações Institucionais da Proteste, e com Fernando Capez, diretor-executivo do Procon-SP. Confira as dicas:

1) Faça uma lista

Para não sair do controle e prejudicar o orçamento, o ideal é fazer uma lista do que vai comprar. Se não tiver ideia do que dar de presente, estabeleça uma faixa de preço para cada parente e amigo.

2) Pesquise os preços

"Faça uma comparação de preços. Consulte os valores em outras lojas e não compre na primeira que vir. Só compre depois de fazer uma grande pesquisa", diz Capez.

3) Lembre-se de outras dívidas

"Muita gente já parcelou as compras da Black Friday e precisa ter cuidado para não parcelar mais compras no Natal. É preciso ver se vai conseguir pagar todas essas parcelas e não esquecer das despesas de começo de ano, como IPVA, IPTU e material escolar, por exemplo", diz Juliana.

4) Cuidado com promoções e prêmios

Descontos na segunda unidade ou cupons para concorrer a prêmios podem ser armadilhas que o consumidor não percebe. "Você vê que se gastar R$ 50 ganha um cupom para concorrer a um carro. Você foi ao shopping para gastar R$ 20, mas pensa que se gastar mais R$ 30 pode concorrer e talvez ganhar. Se você estabeleceu gastar R$ 20, tem que sair de lá com essa meta cumprida."

5) Pergunte sobre a política de troca

Se a pessoa não gostou, se a cor não agradou ou se o presente não serviu, as lojas não são obrigadas a trocar. O estabelecimento só será obrigado se a loja se comprometer com isso. A loja também pode estabelecer prazos e condições como o produto estar com etiqueta ou apresentar um cupom de troca.

Segundo Capez, a lei não diz que a empresa precisa fazer a troca, mas o Procon entende que pelo princípio da boa-fé, se não houver prejuízo para a loja, recusar a troca é abusivo.

6) Peça descontos

Para Graziela, os brasileiros têm vergonha de pedir descontos, mas não deveriam. "Pedir desconto não é ofensa. Se a pessoa vai aceitar ou não, não cabe ao consumidor. Mas sempre tem que tentar negociar."

7) Fique de olho no valor final

Algum preço diferente do que foi anunciado pode passar batido pelo consumidor. A dica é conferir item por item antes de pagar para saber se os preços estão corretos. "O consumidor deve pagar o menor preço anunciado", diz Juliana.

8) Deixe uma reserva

"Sempre deixe uma reserva para os casos de acabar esquecendo de alguém ou se receber alguma coisa e quiser retribuir. Tem que ter uma margem", diz Graziela.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.

Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.

Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas