PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Brasil é o mais caro entre 47 países para comprar roupa da Zara, diz estudo

Lucas Gabriel Marins

Colaboração para o UOL, em Curitiba

10/01/2020 17h29

Resumo da notícia

  • Levantamento compara preço de conjunto de 12 produtos vendidos pela rede
  • No Brasil, total sairia por US$ 644,7 (cerca de R$ 2.633), contra US$ 396,5 (R$ 1.619) na Espanha
  • Brasil é país com camiseta básica da Zara mais cara: US$ 29,3 (R$ 120)
  • Macacão e suéter são mais baratos no Brasil que na maioria dos países pesquisados
  • Alta carga tributária é um dos motivos para preço alto
  • Especialista diz que "risco" e preço do metro quadrado em shoppings também afetam preço

Comprar roupa da Zara no Brasil custa mais do que em outros 46 países, segundo um estudo divulgado nesta sexta-feira (10). O levantamento Índice Zara 2020, feito pelo banco BTG Pactual, compara o preço de um conjunto de 12 produtos vendidos pela rede de moda em 47 países.

O conjunto de peças, que inclui jeans, camiseta e jaqueta de couro, entre outros itens, sairia por (em países selecionados pela reportagem):

  • Brasil: US$ 644,7 (cerca de R$ 2.633)
  • EUA: US$ 606,80 (R$ 2.478)
  • Noruega: US$ 585,8 (R$ 2.392)
  • Colômbia: US$ 494 (R$ 2.017)
  • Espanha: US$ 396,5 (R$ 1.619)

Por outro lado, algumas das peças são mais baratas no Brasil que em outros países. Por exemplo:

  • Para comprar jeans em uma Zara brasileira, é preciso desembolsar US$ 49 (cerca de R$ 200). Só é mais caro comprar jeans nos EUA (US$ 49,90, cerca de R$ 204) ou na Tailândia (US$ 49,10, cerca de R$ 201)
  • O Brasil é o país com a camiseta básica da Zara mais cara: US$ 29,3 (R$ 120). Os países com as camisetas mais baratas são Estônia (US$ 6,6, ou R$ 27) e Hungria (US$ 6,7, ou R$ 29)
  • Por outro lado, algumas peças são mais baratas no Brasil que na maioria dos outros países pesquisados. É o caso do macacão (US$ 51,5, ou R$ 211) e do suéter (US$ 73,6, ou R$ 301)

Por que os preços aqui são mais altos?

Entre os motivos que afetam os preços, segundo o estudo, estão a cotação das moedas em relação ao dólar, além da distância dos países da Espanha, país-sede da Zara, perto de onde ficam a maioria das fábricas da varejista de moda.

Das 7.235 fábricas da Zara no mundo, mais da metade (57%) ficam em países próximos da Espanha. No Brasil e na Argentina, por exemplo, há apenas 34 locais produzindo peças para a rede.

Ainda no caso específico do Brasil, segundo o estudo, alguns pontos atrapalham o trabalho de empresas estrangeiras em geral e têm efeito nos seus preços. Os principais são: a complexidade do sistema tributário e os altos impostos, as questões regulatórias e os gargalos logísticos do Brasil.

"Embora acreditemos que um sistema tributário mais simples e mais barato poderia incentivar os varejistas estrangeiros a expandir ou iniciar operações no Brasil, acreditamos que a natureza fragmentada da indústria de vestuário brasileira o torna bastante desafiador para players que não possuem uma estrutura de cadeia de suprimentos estabelecida nacionalmente", diz trecho do relatório.

"Risco" e preço do m² também influenciam, diz especialista

Há ainda outros fatores que encarecem os produtos no Brasil, segundo Ulysses Reis, professor dos MBAs da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e especialista no setor de varejo e comércio eletrônico. "Todo o risco de se trabalhar no Brasil também está embutido nos produtos vendidos. Há risco de assalto, de furto, de acidente e de uma infinidade de falhas existentes por aqui".

Além disso, segundo ele, o fato de as lojas da Zara estarem dentro de shoppings centers também influencia. "No país, os shoppings cobram preços elevadíssimos pelo metro quadrado, coisa que lá fora não ocorre. Isso influência muito o valor final do produto".

Economia