PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

BC reduz juros pela 6ª vez, a 3,75% ao ano, o menor nível da história

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

18/03/2020 18h06Atualizada em 18/03/2020 19h23

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central cortou hoje a taxa básica de juros (Selic) em 0,50 ponto percentual, de 4,25% para 3,75% ao ano. É o menor patamar desde o início da série histórica, em 1996. A decisão foi unânime.

Na ata da reunião, o BC explica que a atual conjuntura pede cautela na condução da política monetária e, por isso, vê como "adequada" a nova redução da Selic. A autoridade monetária ressaltou que "continuará fazendo uso de todo o seu arsenal de medidas" para enfrentar a crise atual.

Este foi o sexto corte seguido, o segundo anunciado neste ano, e ocorre em meio a preocupações sobre os efeitos do coronavírus no mundo. Na avaliação da autarquia, a pandemia está provocando "uma desaceleração significativa do crescimento global, queda nos preços das commodities e aumento da volatilidade nos preços de ativos financeiros".

Vários países têm adotado medidas para tentar estimular suas economias e evitar uma crise. O banco central dos EUA (Federal Reserve, ou Fed), por exemplo, fez dois cortes emergenciais de juros —o último foi no domingo (15), para perto de zero.

Ciclo de cortes da Selic começou em 2016

Em outubro de 2016, o BC deu início a uma sequência de 12 cortes na Selic. Neste período, a taxa de juros caiu de 14,25% ao ano para 6,5% ano. De maio de 2018 até junho de 2019, a taxa foi mantida no mesmo patamar. Foram dez encontros do Copom sem mudanças na Selic.

No final de julho do ano passado, o Copom reduziu a Selic em 0,5 ponto percentual, para 6% ao ano. Em dezembro, cortou de 5% para 4,5% ao ano. E em fevereiro, reduziu para 4,25% ao ano.

Juros ao consumidor são mais altos

A Selic é a taxa básica da economia e serve de referência para outras taxas de juros (financiamentos) e para remunerar investimentos corrigidos por ela. A Selic não representa exatamente os juros cobrados dos consumidores, que são muito mais altos.

Poupança rende menos

Com os juros baixos, a poupança rende menos devido a uma regra criada em 2012. Quando a Selic está acima de 8,5% ao ano, a rentabilidade da poupança é de 6,17% ao ano (0,5% ao mês) mais TR (Taxa Referencial). Porém, quando a Selic é igual ou menor que 8,5%, a poupança passa a render 70% da Selic mais TR.

Juros x inflação

Os juros são usados pelo BC como uma ferramenta para tentar controlar a inflação ou tentar estimular a economia. De modo geral, quando a inflação está alta, o BC sobe os juros para reduzir o consumo e forçar os preços a cair. Quando a inflação está baixa, o BC derruba os juros para estimular o consumo.

A meta é manter a inflação em 4% este ano, mas há uma tolerância de 1,5 ponto para cima e para baixo, ou seja, pode variar entre 2,5% e 5,5%. A inflação fechou 2019 em 4,31%, dentro da meta do governo para o ano passado, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

(Com agências de notícias)

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

Entenda o que é o spread bancário e a relação com os juros que você paga

UOL Notícias
Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que era informado no sexto parágrafo, o último corte dos juros foi em fevereiro de 2020, não em dezembro de 2019. A informação foi corrigida.