PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Governo paga 1ª parcela dos R$ 600 para última leva do Bolsa Família

Ricardo Marchesan

Do UOL, em São Paulo

30/04/2020 04h00

O governo paga nesta quinta-feira (30) a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 para os beneficiários do Bolsa Família com último dígito do NIS igual a 0 —cerca de 1,9 milhão de pessoas. Os benefícios não serão acumulados. A pessoa receberá o que for de maior valor entre o Bolsa Família e o auxílio emergencial.

O calendário para quem está no programa segue o do Bolsa Família, diferentemente de quem se inscreveu por meio do aplicativo da Caixa, pelo site ou estava no Cadastro Único, que seguem calendários específicos. O pagamento da primeira parcela para quem tem final do NIS de 1 a 9 já foi feito.

A segunda parcela do benefício será paga no mês que vem, também seguindo o calendário do Bolsa Família.

O governo também paga nesta quinta a primeira parcela do auxílio para mais 1,7 milhão de pessoas que se inscreveram por meio do aplicativo da Caixa, pelo site. No total, será creditado R$ 1,1 bilhão, sendo R$ 920 milhões em contas da Caixa, e R$ 211 milhões em contas de outros bancos.

Ao todo, desde que os pagamentos começaram, em 9 de abril, 50 milhões de pessoas receberam o auxílio, de acordo com a Caixa, totalizando R$ 35,5 bilhões, já somados os créditos previstos para esta quinta-feira.

Saque em dinheiro começou

O saque do auxílio em dinheiro direto da poupança digital da Caixa para quem se inscreveu pelo app Caixa Auxílio Emergencial (para sistema Android e iOS), ou pelo site da Caixa começou na segunda-feira (27). Ele está sendo liberado em etapas, de acordo com o mês de aniversário da pessoa, para evitar aglomerações nas agências. Ainda assim, alguns locais registraram longas filas.

Nesta quinta-feira é liberado o saque para quem nasceu em julho ou agosto.

A Caixa também antecipou para sábado (2) o início do saque em dinheiro de quem nasceu em setembro e outubro.

Confira o calendário de saques em dinheiro direto da poupança digital:

  • 27 de abril - nascidos em janeiro ou fevereiro
  • 28 de abril - nascidos em março ou abril
  • 29 de abril - nascidos em maio ou junho
  • 30 de abril - nascidos julho ou agosto
  • 02 de maio - nascidos em setembro ou outubro
  • 05 de maio - nascidos em novembro ou dezembro

Saque pode ser feito antes das datas

Independentemente do saque em dinheiro, o auxílio é depositado na conta dos beneficiários, que pode ser a poupança digital gerada automaticamente, ou uma já existente, indicada pela pessoa na hora do pedido via app ou site.

Quem recebe diretamente em uma conta pessoal já existente, de qualquer banco, não tem restrição para fazer o saque.

Os que optaram por receber na poupança digital precisam seguir o calendário de saque da Caixa para fazer o resgate em dinheiro direto da conta, ou então transferir para uma outra conta pessoal, usando o aplicativo Caixa Tem (disponível para Android e iOS).

O Caixa Tem está disponível apenas para quem tem a poupança digital. Os beneficiários do Bolsa Família, pessoas que já têm
poupança na Caixa e correntistas de outros bancos não precisam baixar o app.

Com o aplicativo é possível fazer transferências ilimitadas entre contas da Caixa ou realizar gratuitamente até três transferências para outros bancos a cada mês, pelos próximos 90 dias, segundo o banco.

Além das transferências, o Caixa Tem permite que o auxílio seja usado para pagamentos, como boletos e contas de água, luz ou telefone.

Problemas com os aplicativos

Muitos beneficiários, porém, têm relatado dificuldades há mais de uma semana com o aplicativo Caixa Tem, disponibilizado pelo banco para movimentar o dinheiro recebido do governo. Nas redes sociais, há diversos relatos de problemas para gerar o código para saque, acessar o app ou movimentar o dinheiro.

Também há relatos de pessoas que ainda não conseguiram a aprovação para o benefício ou não receberam o valor. Isso pode acontecer por causa do calendário de pagamentos (que ainda está em andamento), por atraso na análise do cadastro pelo governo, porque a pessoa não tem direito ou por problemas técnicos com os aplicativos da Caixa.