PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Guedes: 'Vamos suavizar a queda' e eliminar auxílio emergencial aos poucos

Paulo Guedes, ministro da Economia - Foto: Jorge William/Agência O Globo
Paulo Guedes, ministro da Economia Imagem: Foto: Jorge William/Agência O Globo

Do UOL, em São Paulo

19/05/2020 22h03

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje que o governo vai "suavizar a queda" e eliminar aos poucos o auxílio emergencial de R$ 600. Atualmente, os beneficiários têm garantidas três parcelas do benefício.

"Vamos tornar mais robusto e focalizado os programas sociais. Vamos agora jogar mais R$ 600 aí. Agora, quando acabar esse prazo, em vez de tirar de uma vez só, vamos fazer um phase out (eliminação em fases). Não é que nós vamos prorrogar, porque não temos fôlego financeiro para fazer a gastança que está aí, mas vamos ter que suavizar a queda. Em vez de cair tudo de uma vez, nós vamos descer mais devagar um pouco", disse Guedes em reunião com representantes do setor de serviços. O jornal O Globo teve acesso ao áudio do encontro.

Essa é a primeira vez que Guedes fala em pagar o auxílio emergencial além dos três meses previstos. Na semana passada, o secretário especial de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, chegou a afirmar que o programa não tem como ser estendido.

O pagamento da primeira parcela do auxílio para quem ainda não recebeu será feito até o fim de maio. Ontem, começou o pagamento da segunda parcela para os beneficiários do Bolsa Família com último dígito do NIS igual a 1. O calendário de pagamento para quem está no Bolsa Família é diferente daquele para quem se inscreveu por meio do aplicativo da Caixa e pelo site ou estava no Cadastro Único do governo federal (CadÚnico).