PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

Coronavírus faz consumo das famílias ter maior queda desde apagão de 2001

Do UOL, em São Paulo

29/05/2020 09h34

Os efeitos da pandemia de coronavírus contribuíram para uma queda de 2% no consumo das famílias, segundo dados do PIB (Produto Interno Bruto) divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Segundo o IBGE, foi a maior queda desde o apagão elétrico de 2001.

"Foi o maior recuo desde a crise de energia elétrica em 2001", disse a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, acrescentando que o consumo das famílias pesa 65% do PIB.

O consumo do governo ficou praticamente estável (0,2%) no primeiro trimestre deste ano, mesmo patamar do último trimestre de 2019.

Apagão de 2001

Em 2001, o país vivia períodos de estiagem e diminuição da geração de energia e dependia quase que exclusivamente de hidrelétricas. Naquele ano, a economia estava bem e o consumo da indústria estava alto, mas o sistema elétrico não era compatível com a demanda.

O setor enérgico não recebeu investimentos do governo de Fernando Henrique Cardoso e sem meios alternativos, que não dependessem apenas de hidrelétrica, o sistema entrou em colapso.

Com a crise enérgica, o governo determinou o racionamento de 20% do consumo. A população brasileira foi obrigada a mudar seus hábitos de consumo de energia drasticamente.