PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

RS: nuvem de gafanhotos gera apreensão e agrotóxicos são considerados

Do UOL, em São Paulo

24/06/2020 15h12

O governo do Rio Grande do Sul afirmou hoje que os agricultores estão apreensivos com a possível chegada de uma nuvem com milhões de gafanhotos proveniente da Argentina. A administração local afirma que está elaborando um plano de contingência e estuda a liberação de alguns defensivos agrícolas.

"Estamos trabalhando com o próprio Ministério (da Agricultura), estudando fazer um decreto de alerta para o Rio Grande do Sul devido a essa nuvem, porque assim vamos conseguir dispor até de recursos orçamentários por parte do governo do estado e ministério", explicou hoje Covatti Filho, secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, em entrevista à CNN Brasil.

"Também estamos estudando a implementação de defensivos agrícolas e procurando entidades parceiras para que, caso essa nuvem chegue, tenhamos condições de conter e amenizar os prejuízos", acrescentou o secretário.

Covatti lembrou ainda que o estado vem de um período de seca, enfrentado pelos agricultores principalmente no último verão, e, por isso, uma nova onda de prejuízos no campo é ainda mais preocupante.

"Os produtores estão muito apreensivos. O Rio Grande do Sul está tendo reflexo de uma seca muito grande, e os produtores agora estão saindo de uma safra de verão frustrada e estão começando a safra de inverno, então deixa todo mundo apreensivo", afirmou Covatti.

O secretário admitiu que há ainda grande incerteza sobre quando e por onde a nuvem de gafanhotos pode chegar ao território gaúcho.

"Tudo depende do vento e das condições climáticas, porque ela pode chegar por Uruguaiana, que é o extremo sul, também por Itaqui, que é região das Missões, um pouco mais a noroeste. Estamos muito apreensivos e olhando todos esses sintomas e principalmente por onde está indo a nuvem", explicou.

Preocupação crescente

A nuvem de gafanhotos começou a preocupar mais seriamente o estado gaúcho desde ontem, depois que o governo da Argentina emitiu um alerta de perigo na fronteira com o Rio Grande do Sul por causa da aproximação dos insetos. Segundo os argentinos, a nuvem pode conter até 40 milhões de gafanhotos e se locomover rapidamente, dependendo do vento e do clima.

Ainda ontem, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse que o governo brasileiro já montou um plano para acompanhar a movimentação da nuvem em direção ao solo nacional.

Economia