PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Cotações

Dólar fecha em alta de 0,18% e vai a R$ 5,294; Bolsa sobe 1,57%

Do UOL, em São Paulo

05/08/2020 17h09Atualizada em 05/08/2020 18h30

O dólar comercial fechou a sessão de hoje (5) negociado a R$ 5,294, com valorização de 0,18% em relação à cotação de ontem (4). A moeda norte-americana vinha da baixa de 0,57%.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, fechou em alta de 1,57%, a 102.801,76 pontos.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Corte de juros

Na noite desta quarta-feira, após o fechamento, o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central confirmou a expectativa do mercado e cortou a taxa básica de juros (Selic) em 0,25 ponto percentual, de 2,25% para 2% ao ano. É o menor patamar desde o início da série histórica, em 1996.

Os juros baixos são apontados por analistas como o principal fator da alta do dólar em 2020, além das incertezas econômicas apresentadas pela pandemia de coronavírus.

A redução sucessiva da Selic afetou rendimentos locais atrelados à taxa de juros, tornando o país menos interessante para o investidor estrangeiro quando comparado a outros emergentes de risco semelhantes e maior rentabilidade.

"O ajuste nos juros acaba forçando uma valorização do dólar doméstico, afastando o investidor que vinha para o Brasil para aproveitar o spread de juros", explicou Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora, acrescentando que a instabilidade no mercado internacional eleva a aversão a risco e, consequentemente, a procura pelo dólar.

Dados dos EUA

Segundo ele, o que acaba limitando a alta são fatores internacionais que enfraqueceram o dólar frente a outras moedas importantes do mundo, como dúvidas e expectativas sobre um pacote de auxílio que está sendo negociado no Congresso dos Estados Unidos.

"Hoje o dólar parece estar voltando ao seu normal. E, apesar de todas as intempéries, vai ficar oscilando entre R$ 5,10 e R$ 5,40" dependendo do humor do mercado, disse Galhardo.

Ainda sobre o cenário externo, dados sobre a economia norte-americana deixaram o mercado apreensivo. A criação de vagas no setor privado dos EUA desacelerou acentuadamente em julho, indicando perda de força no mercado do trabalho e na recuperação econômica conforme novas infecções pelo coronavírus se espalham pelo país.

Reforma tributária

A participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, na comissão mista da reforma tributária também foi monitorada por investidores, principalmente após percepções iniciais de que o texto como está pode resultar em aumento de tributação para alguns setores.

Guedes disse que o espírito do governo é "completamente construtivo" e de "apoio total" à versão mais ampla de um imposto sobre o consumo, após o envio de proposta que mira a junção apenas dos tributos federais PIS e Cofins.

*Com Reuters

Cotações