PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

FGTS: Maia quer aprovar na terça-feira projeto que libera saque de R$ 1.045

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, em Brasília -
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, em Brasília

Da Agência Câmara

05/08/2020 11h39

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou hoje que ninguém será prejudicado com a perda de validade da MP (Medida Provisória) 946/20, que permite ao trabalhador sacar até R$ 1.045 (um salário mínimo) do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) em razão da pandemia do coronavírus.

Em entrevista à rádio Banda B, de Curitiba, Maia anunciou que o Plenário da Câmara vai aprovar a urgência para essa proposta, de modo a permitir que o projeto seja votado na próxima terça-feira (11) e enviado ao Senado.

As alterações feitas na Câmara e no Senado, que ampliaram a possibilidade de saque, fizeram o Planalto pedir a retirada de pauta.

Como a MP perdeu a validade antes que todos os beneficiários pudessem sacar os recursos, a saída negociada foi aprovar um projeto de lei com o mesmo teor.

"Vamos trabalhar rápido para que o projeto vá a sanção. E, na redação, vamos ter cuidado para que ninguém tenha prejuízo. A lei vai organizar isso e fazer um marco temporal correto para que ninguém seja prejudicado", declarou.

Auxílio emergencial

O presidente da Câmara disse acreditar que o auxílio emergencial criado para compensar a queda de renda das famílias mais pobres durante a pandemia deve ser prorrogado até o final do ano e que cabe ao governo decidir se vai criar uma renda permanente.

"O auxílio foi uma questão muito importante para milhões de brasileiros, e o governo certamente está pensando em um programa permanente e estamos aguardando a proposta. Se realmente for no sentido de um programa permanente, temos que ver de onde será tirado o dinheiro", disse.