PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Alemanha vai testar renda básica de R$ 7,8 mil para grupo de cidadãos

Período de pandemia aumentou o debate sobre renda básica universal - John MACDOUGALL / AFP
Período de pandemia aumentou o debate sobre renda básica universal Imagem: John MACDOUGALL / AFP

Do UOL, em São Paulo

19/08/2020 10h15

Dois grupos de cidadãos alemães participarão de um teste de renda básica universal, que ganhou força neste período de pandemia do coronavírus. De acordo com o jornal britânico The Times, um instituto comandará o experimento, com um grupo de 120 pessoas recebendo 1.200 euros, o equivalente a R$ 7,8 mil. O outro, de 1.380 indivíduos, não receberá nada.

A renda básica será dada independentemente da pessoa ter ou não emprego. O grupo de cidadãos que receber o auxílio será acompanhado por três anos, com os pesquisadores observando as consequências e atitudes após receberem a ajuda econômica.

O outro grupo será observado durante o mesmo período e o resultado de ambas as vivências será comparado.

Grupos a favor da renda básica alegam que a medida permite uma segurança financeira maior para a sociedade e permitiria às pessoas conseguirem tomar decisões mais livres em suas vidas privadas. Opositores reclamam dos custos e afirmam que ela é contraprodutiva e desestimula o trabalho.

A pesquisa será feita desenvolvida por um instituto que receberá doações, de acordo com o tabloide Daily Mail.

"O debate sobre renda básica tem sido levado na base da filosofia ou da fé. Em ambos, é resumido a clichês", disse Jurgen Schupp, coordenador da pesquisa, ao Der Spiegel.

"Os apoiadores da renda básica acreditam que as pessoas continuarão a procurar trabalhos que as completem, poderão ser mais criativos e caridosos, ajudando na democracia. Podemos substituir as argumentações atuais por provas empíricas do que acontece", adicionou ele.