PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Alto escalão ganha pouco em relação à iniciativa privada, diz Guedes

Guedes disse que quem ocupa cargos de alto escalão no governo brasileiro ganha um salário "relativamente baixo" em relação ao que ganharia na iniciativa privada - Adriano Machado/Reuters
Guedes disse que quem ocupa cargos de alto escalão no governo brasileiro ganha um salário "relativamente baixo" em relação ao que ganharia na iniciativa privada Imagem: Adriano Machado/Reuters

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

14/09/2020 10h51

Quem ocupa cargos de alto escalão no governo brasileiro, como ministros, secretários e o próprio presidente da República, ganha um salário "relativamente baixo" em relação ao que ganharia na iniciativa privada, disse o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Segundo o ministro, um jovem recém-aprovado em um concurso ganha um salário relativamente alto e um funcionário de alto escalão ganha um salário baixo em relação à iniciativa privada.

"E eu sempre dou o exemplo do Mansueto Almeida [ex-secretário do Tesouro Nacional], que era um funcionário exemplar que nos deixou para ganhar múltiplos e múltiplos e múltiplos do que ganhava aqui. Aqui o salário dele era 20% acima de um recém-admitido no sistema Judiciário", disse Guedes.

Servidores têm privilégios, diz ministro

A estabilidade de emprego e um salário médio acima do setor privado são privilégios dos servidores públicos, afirmou Guedes. Segundo ele, a diferença salarial entre o início e o topo de uma carreira é baixo, o que desestimula a meritocracia.

"A média salarial do funcionalismo é bem acima do setor privado. Há, de certa forma, um privilégio em se ter estabilidade de emprego e uma média salarial bem acima do setor privado", declarou.

Guedes ainda afirmou que a reforma administrativa manterá os direitos dos servidores públicos efetivos, mas criará um sistema meritocrático para quem ingressar na administração pública.