PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Dono da Havan dobra patrimônio e entra no top 10 de bilionários da "Forbes"

O empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, em foto de novembro de 2019 - GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO
O empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, em foto de novembro de 2019 Imagem: GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

18/09/2020 18h11

O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas de departamentos Havan, entrou na lista dos 10 homens mais ricos do Brasil de acordo com o ranking da revista "Forbes". Ele saltou da 36ª colocação, no ano passado, para a 10ª, em 2020, após mais do que dobrar seu patrimônio e chegar a R$ 18,72 bilhões.

Hang apareceu pela primeira vez no ranking da revista no ano passado, quando tinha fortuna estimada em R$ 8,26 bilhões. No mesmo ano ele tinha aparecido pela primeira vez também no ranking mundial da revista, na 1.057ª posição. O bilionário ficou bastante conhecido por ser um dos maiores apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, desde a campanha eleitoral de 2018.

A rede comandada por Hang tem mais de 100 lojas físicas espalhadas pelo país e faturou R$ 10,7 bilhões em 2019, segundo a "Forbes".

Neste ano, Hang ficou atrás de um estreante na lista da revista: o empresário maranhense Ilson Mateus Rodrigues, presidente e principal acionista do Grupo Mateus, rede também de varejo que tem 137 lojas físicas em 54 cidades do Nordeste. Ilson Mateus aparece na 9ª colocação, com um patrimônio estimado em R$ 20 bilhões.

Abaixo, veja os 10 primeiros nomes da lista:

  1. Joseph Safra: R$ 119,08 bilhões
  2. Jorge Paulo Lemann: R$ 91 bilhões
  3. Eduardo Saverin: R$ 68,12 bilhões
  4. Marcel Herrmann Telles: R$ 54,08 bilhões
  5. Carlos Alberto Sicupira e família: R$ 42,64 bilhões
  6. Alexandre Behring: R$ 34,32 bilhões
  7. André Esteves: R$ 24,96 bilhões
  8. Luiza Trajano: R$ 24 bilhões
  9. Ilson Mateus: R$ 20 bilhões
  10. Luciano Hang (Havan): R$ 18,72 bilhões

Havan pediu para entrar na Bolsa

Em agosto, a Havan pediu registro para oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

De acordo com prospecto preliminar apresentado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a operação tem como coordenadores Itaú BBA, XP Investimentos, BTG Pactual, Morgan Stanley, Bank of America, Bradesco BBI, Banco Safra e Santander Brasil.

Hang, como controlador da companhia, será o acionista vendedor no IPO.

A companhia disse que pretende utilizar os recursos da oferta primária em investimentos para expansão de lojas e do centro de distribuição, para abertura de novas lojas e para suporte do crescimento orgânico, além de investimentos em tecnologia e reforço no capital de giro.