PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Auxílio emergencial e estado de calamidade não serão prorrogados, diz Maia

Rodrigo Maia afirmou que auxílio emergencial e estado de calamidade não serão prorrogados - Adriano Machado
Rodrigo Maia afirmou que auxílio emergencial e estado de calamidade não serão prorrogados Imagem: Adriano Machado

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

02/11/2020 11h57

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que não colocará em votação, até 1º de fevereiro de 2021, a prorrogação do auxílio emergencial, do estado de calamidade e do orçamento de guerra. A data coincide com seu último dia como presidente da Câmara.

"Nenhum desses assuntos será pautado na Câmara até 1º de fevereiro. O governo que esqueça isso. Aqueles que sonham com um jeitinho na solução para o teto de gastos que aproveitem, a chegada do próximo presidente da Câmara, que terá a coragem de ser o responsável por uma profunda crise econômica e social deste país. Não haverá prorrogação da emenda constituição da guerra e não haverá, em hipótese alguma, votação de nenhuma mensagem que prorrogue o estado de calamidade", declarou Maia, durante uma transmissão online do jornal "Valor Econômico".

Maia disse estar preocupado e pessimista com a falta de coordenação política do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para definir a agenda de reformas e medidas para ajudar na recuperação da economia.

Segundo ele, cabe a Bolsonaro definir as prioridades do governo no Legislativo e mobilizar a base parlamentar de apoio para que as propostas avancem no Congresso.

Maia afirmou que a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial e a reforma tributária são essenciais para que o Brasil volte a crescer.