PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Navio Ever Given cruza Canal de Suez novamente 150 dias após bloqueá-lo

Em sua 22ª passagem pelo Canal de Suez, o navio Ever Given foi acompanhado por dois rebocadores - Suez Canal Authority/ REUTERS
Em sua 22ª passagem pelo Canal de Suez, o navio Ever Given foi acompanhado por dois rebocadores Imagem: Suez Canal Authority/ REUTERS

Do UOL, em São Paulo

20/08/2021 15h49Atualizada em 20/08/2021 15h49

Após 150 dias do encalhe e bloqueio do Canal de Suez, no Egito, o navio Ever Given atravessou pela primeira vez o canal desde que provocou o incidente em março, levando cargas do Reino Unido para a China. Desta vez, a travessia do navio porta-contêineres ocorreu sem causar problemas e prejuízos de ordem global.

Junto ao Ever Given estavam outros 26 navios que seguiram em comboio do Mar Mediterrâneo para o Mar Vermelho, disse a SCA (Autoridade do Canal de Suez). As informações são da agência de notícias Reuters.

Esteve acompanhando o Ever Given na travessia duas embarcações de reboque, além de um grupo de pilotos experientes da SCA. Esta foi a 22ª passagem do navio pelo Canal de Suez. Veja vídeo abaixo publicado pelas autoridades do canal.

Apesar de ter sido desencalhado depois de uma semana no final de março, o Ever Given chegou ao seu destino final somente em julho, há pouco mais de três semanas, no Porto de Roterdã, na Holanda. O porto aproveitou para faturar durante os dias de desembarque dos contêineres do navio, tornando-o uma atração turística: cobraram US$ 13 (cerca de 70 reais) para um passeio de 90 minutos no entorno da embarcação.

foto 1 - Reprodução/ Site VesselFinder - Reprodução/ Site VesselFinder
De acordo com o VesselFinder, site que rastreia embarcações, o Even Given já atravessou Suez
Imagem: Reprodução/ Site VesselFinder

Depois da Holanda, o navio gigante seguiu para o Porto de Felixstowe, na Inglaterra, em 3 de agosto. Dois dias depois iniciou sua viagem rumo à China. Antes de chegar na cidade egípcia de Port Said na noite de ontem, o Ever Given esteve em Malta no último domingo (15). Na madrugada de hoje seguiu para a China.

O navio ficou encalhado no Canal de Suez entre os dias 23 e 29 de março, provocando um congestionamento de 422 embarcações em uma das principais rotas marítimas do planeta. O tráfego na via só foi normalizado cinco dias após a remoção do porta-contêineres, que ficou apreendido no Egito até o dia 7 de julho.

A liberação só ocorreu após um acordo de indenização entre a Autoridade do Canal de Suez e a empresa japonesa Shoei Kisen Kaisha, proprietária do navio.

Inicialmente, o governo egípcio havia cobrado um ressarcimento de US$ 916 milhões, mas depois reduziu a pedida para US$ 550 milhões. O valor final, no entanto, não foi divulgado.

PUBLICIDADE