PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Presidente da Abag: 'Agro não precisa invadir terra indígena para crescer'

Marcello Brito, presidente da Abag, no Roda Viva - Reprodução/TV Cultura
Marcello Brito, presidente da Abag, no Roda Viva Imagem: Reprodução/TV Cultura

Do UOL, em São Paulo

30/08/2021 23h52

O presidente da Abag (Associação Brasileira do Agronegócio), Marcello Brito, afirmou hoje que o "agro não precisa invadir terra indígena para crescer". Ele comentava a afirmação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que a rejeição da tese do Marco Temporal poderia acabar com o agronegócio.

Marcello Brito discorda do presidente sobre a necessidade de exploração das terras indígenas para que o agronegócio continue a se desenvolver. "Eu não vi nenhum estudo sério mostrando isso", disse em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura.

O presidente da Abag apontou que ainda seria possível expandir terras de exploração do agronegócio sem precisar se aproximar das terras indígenas. Ele defendeu ainda a tese de que é possível desenvolver o negócio com base em produtividade, sem necessariamente incorporar mais terras.

"O resultado desse julgamento vai mostrar muito que país nós queremos ser para o futuro e que país que nós queremos mostrar para o público que vai comprar os nossos produtos", explicou.

Posição do Brasil no mundo

O Brasil vem sendo cobrado internacionalmente pela falta de compromisso com a preservação do meio ambiente e a sustentabilidade. O desmatamento ilegal no país, por exemplo, pode impactar as exportações dos produtos agrícolas do país.

Nesse sentido, Brito também mencionou a COP 26, a conferência do clima que vai acontecer em novembro deste ano. Segundo ele, o Brasil vai precisar dar explicações no evento.

"O Brasil vai chegar na COP devendo, nós vamos chegar lá para dar explicações. E pela segunda vez nós não vamos chegar entre os líderes, vamos chegar entre os liderados. Isso é muito ruim", disse.

PUBLICIDADE