PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Luiza Trajano é uma das 100 mais influentes do mundo segundo a Time

Empresária é a única brasileira na lista da Time; ex-presidente da Magalu foi listada ao lado de Simone Biles e Tim Cook - Eduardo Knapp/Folhapress
Empresária é a única brasileira na lista da Time; ex-presidente da Magalu foi listada ao lado de Simone Biles e Tim Cook Imagem: Eduardo Knapp/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

15/09/2021 10h40Atualizada em 15/09/2021 15h59

Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho Administrativo da rede varejista Magazine Luiza, foi listada pela revista americana Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo em 2021.

O texto sobre a empresária na revista é assinado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que afirmou que Trajano "assumiu o desafio de construir uma gigante varejista enquanto constrói um Brasil melhor".

"No mundo dos negócios, ainda dominado por homens, a brasileira Luiza Trajano conseguiu transformar a Magazine Luiza, que começou como uma loja única em 1957, em uma gigante do varejo, valendo dezenas de bilhões de dólares", destacou o ex-presidente.

Trajano é a única brasileira na lista da Time. No ano passado, a revista incluiu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o youtuber Felipe Neto entre os escolhidos.

Na lista, a empresária da Magazine Luiza foi incluída no rol de "titãs", que também conta com figuras como a ginasta Simone Biles, o empresário Tim Cook (CEO da Apple) e o jogador de futebol americano Tom Brady, casado com a modelo brasileira Gisele Bündchen.

No fim de agosto, Luiza Trajano já havia sido listada pela Forbes como a segunda mulher mais rica do Brasil, com uma fortuna avaliada em R$ 23,5 bilhões. A empresária só ficou atrás de Vicky Safra — R$ 37 bilhões —, viúva de Joseph Safra e uma das controladoras do Banco Safra.

Luiza Trajano & Magazine Luiza

Luiza Helena Trajano presidiu a rede varejista entre 1991 e 2015. A partir de 2016, a companhia passou a ser comandada por Frederico Trajano, filho dela.

A empresária herdou o comando da tia, Luiza Trajano Donato, que fundou a Magazine Luiza ao lado do marido, Pelegrino José Donato, em Franca, no interior de São Paulo.

Durante o período em que comandou a rede, Luiza Helena Trajano a expandiu para fora do interior paulista e do Triângulo Mineiro, adquiriu varejistas menores em todo o Brasil e listou a companhia na Bolsa de Valores.

Em balanço sobre o ano de 2020, a Magazine Luiza relatou operar 1,3 mil lojas físicas, espalhadas por 21 estados, em todas as regiões do Brasil, além de mais de 20 centros de distribuições.

No mesmo relatório, a companhia disse que, em 2020, em plena pandemia da covid-19, viu as vendas totais da rede crescerem 60% em relação ao ano de 2019, chegando a R$ 43,5 bilhões.

Texto de Lula

No artigo sobre a empresária, o ex-presidente lembrou que, quando a pandemia da covid-19 chegou ao Brasil, a Magazine Luiza "ajudou pequenas empresas e se adaptarem ao comércio digital, fornecendo uma plataforma para vender e entregar seus produtos".

Lula também aproveitou o espaço para criticar o governo do presidente Bolsonaro. "Em um momento em que o governo federal brasileiro minimizava o risco que representava a pandemia, Luiza falou corajosamente sobre a urgência da vacinação", pontuou.

Em fevereiro, Luiza Trajano passou a liderar um grupo de empresários sob o movimento "Unidos pela Vacina", que visava acelerar a vacinação contra a covid-19 no Brasil.

Durante a campanha de vacinação, o grupo passou a se concentrar em garantir um acesso seguro da população a doses de vacinas, oferecendo freezeres aptos a armazenar imunizantes a cidades que não tinham condições de adquiri-los.

Logo após o lançamento da iniciativa, setores do PT passaram a ventilar a possibilidade de Luiza Trajano entrar como vice em uma chapa com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) ou com Lula nas eleições presidenciais de 2022.

Na época, Lula negou que mantivesse conversas políticas com a empresária, e Luiza Trajano descartou qualquer pretensão eleitoral para 2022. "Nunca quis ser mito", afirmou a ex-presidente da Magazine Luiza ao jornal O Globo.

PUBLICIDADE