PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Agricultor devolve R$ 861 mil que 'surgiram' em sua conta bancária

Nestor Führ guardou o extrato que mostra o depósito de mais de R$ 861 mil feito em sua conta. - Reprodução/RBS TV
Nestor Führ guardou o extrato que mostra o depósito de mais de R$ 861 mil feito em sua conta. Imagem: Reprodução/RBS TV

Colaboração para o UOL

26/11/2021 10h40Atualizada em 27/11/2021 09h30

O agricultor Nestor Führ, morador de Arroio do Meio, no interior do Rio Grande do Sul, ganhou fama de "ex-milionário" em sua cidade, graças a um episódio ocorrido duas semanas atrás, quando recebeu em sua conta bancária um depósito polpudo. A quantia de R$ 861.924,86, na verdade, foi depositada equivocadamente por uma empresa, e por isso ele não hesitou em devolver cada centavo - algo que curiosamente já havia ocorrido com ele em 2002.

Durante mais um dia comum na zona rural onde mora e trabalha criando aves e gado, a 5 km da cidade, Nestor recebeu uma ligação do gerente do banco, que pedia que ele fosse à agência, porém sem revelar qual seria o assunto tratado. "Me convidou para ir urgentemente na agência bancária. Eu quis saber o motivo, mas ele não quis revelar. Eu fiquei desconfiado que fosse um problema com a minha conta, então eu resolvi ir", contou ele, em entrevista ao canal RBS.

Ao chegar no local, o agricultor foi informado pelo gerente que sua conta havia recebido um depósito de mais de R$ 861 mil, logo identificado como um engano cometido por uma empresa.

"Aí eu disse: 'Como?'. Ele disse: 'Pois é, aconteceu'. Foi feito um depósito de uma empresa, um erro, né. Ele me convidou, se eu me disponibilizasse, para transferir o dinheiro de volta", afirmou Nestor.

O trabalhador rural fez o que tinha que fazer e devolveu o dinheiro. "Tive a sensação de um dia ser milionário. Passei o cartão e transferimos, ficou tudo certo. Não é meu, não quero", pontuou.

Curiosamente, Nestor já havia vivido uma situação parecida há 19 anos, em 2002. Na ocasião, ao cobrar uma nota promissória de R$ 1,2 mil, ele recebeu R$ 12 mil, mas logo comunicou o erro e devolveu a diferença.

PUBLICIDADE