PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Rússia 'cria obstáculos' à venda de grãos, diz Ucrânia; Moscou nega

Fumaça sobe na cidade de Severodonetsk durante intensos combates entre tropas russas na região leste ucraniana de Donbass - Aris Messinis/AFP
Fumaça sobe na cidade de Severodonetsk durante intensos combates entre tropas russas na região leste ucraniana de Donbass Imagem: Aris Messinis/AFP

Do UOL, em São Paulo

08/06/2022 11h11Atualizada em 08/06/2022 11h28

A Ucrânia acusou a Rússia de "criar bloqueios artificialmente" ao mercado de grãos para tentar conquistar o comércio ucraniano. A acusação foi feita hoje pelo secretário de Segurança Nacional da Ucrânia, Oleksiy Danilov, em uma publicação no Twitter. Horas mais tarde, o ministro de Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse que Moscou não é culpada por isso, sugerindo que as cobranças deveriam ser feitas ao presidente ucraniano Volodymyr Zelensky.

"Nossa posição sobre a questão do abastecimento de grãos é inequívoca: primeiro, a segurança. A Rússia está criando artificialmente obstáculos para conquistar o mercado e chantageando a Europa por causa da escassez de alimentos", escreveu Danilov no Twitter.

Ao se defender, Lavrov afirmou que as intenções e objetivos da Rússia na Ucrânia são "claros" e sustentou que Moscou não está interrompendo as exportações de grãos da Ucrânia.

Durante uma coletiva de imprensa conjunta com o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, em Ancara, o chanceler foi questionado por um jornalista ucraniano, que perguntou "o que mais a Rússia roubou da Ucrânia".

O ministro respondeu que "no que diz respeito aos grãos, não há nenhum obstáculo ou desafio causado" pela Rússia.

"O Sr. Zelensky precisa dar uma instrução para que os portos ucranianos possam se tornar seguros", disse Lavrov. O chanceler acrescentou que "não somos nós os culpados" por criar um problema e que "a bola está do lado deles [da Ucrânia]".

Lavrov disse ainda que a Rússia está discutindo garantir a passagem segura de navios com os militares turcos e repetiu o discurso de que o país quer "libertar" o país de um "regime neonazista". O argumento é utilizado desde o início da guerra para justificar o conflito com a Ucrânia, em um conjunto de ataques que Moscou chama de "operação especial".

Turquia propôs ajuda para escoltar as embarcações

A pedido da ONU, a Turquia propôs ajuda para escoltar as embarcações carregadas com alimentos que saem da Ucrânia.

Para o chanceler da Turquia, Mevlut Cavusoglu, "o plano da ONU é razoável e factível". "Ucrânia e Rússia deveriam aceitar", disse. O ministro turco disse ainda que seria "legítimo" retirar as sanções contra as exportações agrícolas russas.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

"Se devemos abrir o mercado internacional ucraniano, pensamos que é legítimo retirar os obstáculos às exportações russas", disse Cavusoglu.

Antes da guerra, a Ucrânia exportava mensalmente 12% do trigo, 15% do milho e 50% do óleo de girassol do mundo.