IPCA
0,26 Set.2023
Topo

iFood faz demissão em massa e corta 6% do quadro de funcionários

Aplicativo do iFood - Adriana Toffetti/A7 Press/Folhapress
Aplicativo do iFood Imagem: Adriana Toffetti/A7 Press/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

01/03/2023 13h04Atualizada em 03/03/2023 09h49

O iFood anunciou nesta quarta-feira (1º) a demissão de 355 funcionários. Esse número equivale a 6,5% do quadro atual —são cerca de 5,1 mil profissionais.

Em nota, o iFood diz que as demissões foram motivadas pelo "atual cenário econômico".

O iFood tomou hoje a difícil decisão de descontinuar algumas posições internas, impactando em postos de trabalho de colaboradores, que ajudaram a escrever a nossa história. O atual cenário econômico mundial tem exigido das empresas ações imediatas na busca por novas rotas para enfrentar essas adversidades. Não foi diferente com o iFood. Lamentamos por cada perda e estamos comprometidos em garantir que esse momento difícil seja conduzido com o máximo de cuidado e respeito a essas pessoas.
Ifood, em nota

Os cortes afetaram profissionais como estagiários, analistas e gerentes. Áreas como engenharia de software, gestão de produtos, desenvolvimento de negócios e marketing e UX (experiência do usuário) estão entre as impactadas.

Um ex-funcionário da empresa que não quis se identificar disse ao UOL que o Ifood já havia avisado em janeiro que realizaria demissões no fim de março. "A surpresa foi ser no início [do mês]".

O corte de mais de 300 pessoas foi concentrado em iniciativas de negócios. Diego Barreto, um dos sócios e vice-presidente de finanças e estratégia, escreveu em uma rede social que a empresa optou por não seguir o mesmo nível de investimento.

"Infelizmente, diversas pessoas queridas e muito talentosas, com quem convivi nos últimos seis anos, foram impactadas e não fazem mais parte do iFood", declarou Barreto.

IFood não terá mais exclusividade com gigantes da alimentação

Recentemente, o Ifood perdeu a exclusividade de contratos com grandes redes de restaurantes, como McDonald's, Habib's e Outback. A medida vale para marcas com mais de 30 unidades.

Em 8 de fevereiro, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) decidiu que a companhia terá seis meses para implementar as mudanças.

No ano passado, o iFood demitiu funcionários, porém sem informar a quantidade de desligamentos, além de reduzir novas contratações pela metade. À época, a empresa justificou os cortes para buscar "maior eficiência" e "foco" para o negócio.

Nos últimos meses, startups do setor de tecnologia também demitiram em massa, como a Loft e a Buser.