IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Caçadores e leilões: por dentro da indústria de peles que movimenta milhões

Comprador Steven Goodman examina peles de lobo no Leilão Fur Harvesters, no Canadá - COLE BURSTON/AFP
Comprador Steven Goodman examina peles de lobo no Leilão Fur Harvesters, no Canadá Imagem: COLE BURSTON/AFP

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

03/04/2023 04h00

O mercado de pele de animais silvestres não vive mais seus momentos de glória. Sofreu perdas significativas por causa da pandemia e da guerra entre Ucrânia e Rússia e enfrentou o banimento de marcas de luxo como Versace, Michael Kors e Gucci. Mesmo assim, o lucro desse tipo de comércio ainda ultrapassa a marca dos milhões.

Somente no Canadá, um dos principais países exportador desse produto e onde acontece o tradicional Leilão Fur Harvesters, cerca de 415 mil peles de animais selvagens foram vendidas por um valor total de cerca de R$ 50 milhões entre 2019 e 2020.

Segundo o setor, a volta dos leilões presenciais deve turbinar os valores, porque os compradores gostam de analisar a qualidade dos produtos bem de perto.

Veja como as peças vão da floresta ao leilão:

peles - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Tudo começa com os caçadores, uma das profissões mais antigas do Canadá. Na foto, Ray Gall recolhe um castor de uma de suas armadilhas, montada dois dias antes em Dunchurch (Canadá)
Imagem: COLE BURSTON/AFP
peles - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Hoje, são poucos os que vivem só da caça, uma atividade muito regulamentada, mas o comércio existe. Na foto, Marissa Frederick e Bob Desbines examinam peles de lobo que chegam para serem vendidas.
Imagem: COLE BURSTON/AFP
peles - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Comprador Steven Goodman examina peles de lobo antes de leilão. O Canadá é o maior produtor de peles selvagens do mundo
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Na maior feira de peles da América do Norte, no Canadá, centenas de carcaças são tratadas como artigos de luxo.
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
As peles de vison aguardam para serem processadas e classificadas no Leilão Fur Harvesters
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Peles de castor penduradas; corretores se reúnem antes dos leilões para analisar as peças
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
As peles de coiote são processadas para envio; os caçadores buscam ratos, raposas, lobos, coiotes e ursos
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Peles de lobo são vistas penduradas para apreciação dos compradores
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Peles de lobo penduradas; o mercado está balançando há alguns anos por boicote
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Peles de lobo penduradas no Leilão Fur Harvesters em North Bay, Ontário, Canadá, em 23 de março de 2022
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
As peles ficam em prateleiras antes de serem processadas e classificadas no Leilão Fur Harvesters em North Bay, Ontário, Canadá, em 22 de março de 2022.
Imagem: COLE BURSTON/AFP
Harvesters - COLE BURSTON/AFP - COLE BURSTON/AFP
Peles de lobo penduradas no Leilão Fur Harvesters em North Bay, Ontário, Canadá, em 22 de março de 2022.
Imagem: COLE BURSTON/AFP