IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Herdeiro da Ray-Ban aos 19: Quem é o bilionário mais jovem do mundo?

Clemente del Vecchio é caçula de bilionário dono de empresa de óculos, morto no ano passado - Reprodução
Clemente del Vecchio é caçula de bilionário dono de empresa de óculos, morto no ano passado Imagem: Reprodução

31/05/2023 11h43Atualizada em 31/05/2023 11h43

O italiano Clemente Del Vecchio, 19, ganhou atenção ao se tornar o bilionário mais jovem na edição de 2023 da lista dos mais ricos do mundo, divulgada pela Forbes.

  • Clemente Del Vecchio é um dos seis filhos de Leonardo Del Vecchio. Leonardo era presidente da EssilorLuxottica, a maior empresa de óculos do mundo, dona da marca Ray-Ban.
  • Ele se tornou o bilionário mais jovem do mundo, com US$ 3,5 bilhões (R$ 17,7 bilhões). Assumiu o posto após herdar a fortuna de seu pai, que morreu em junho do ano passado.
  • Com a herança, se tornou dono de uma participação de 12,5% na Delfin. A empresa é uma holding com sede em Luxemburgo.
  • A Delfin também possui ações de outras companhias. São elas: a seguradora Generali, os bancos Mediobanca e UniCredit e a incorporadora imobiliária Covivio.
  • Clemente Del Vecchio aparece na posição 818 da lista geral da Forbes. Os irmãos de Clemente estão na mesma colocação da lista, também com US$ 3,5 bilhões: Luca (21), Leonardo (27), Paola (61). Marisa (64) e Claudio (66).

Perfil reservado

Sem muito envolvimento nos negócios. Mais novo dos filhos de Leonardo Del Vecchio, Clemente é um herdeiro discreto do homem que foi apontado pela Forbes como o mais rico da Itália e o 62º do mundo em 2022. Leonardo, que teve sua fortuna avaliada em US$ 27,3 bilhões (aproximadamente R$ 138,5 bilhões), morreu em 27 de junho do ano passado, aos 87 anos.

Os irmãos participam mais das empresas. Enquanto os dois filhos mais velhos de Leonardo, Claudio e Leonardo Maria, se envolveram ativamente nos negócios da família, o caçula Clemente, por enquanto, não é conhecido por estar envolvido em nenhuma das empresas deixadas pelo pai bilionário.

Grande parte do patrimônio deixado por Leonardo Del Vecchio está atrelada à sua participação na EssilorLuxottica. É a maior empresa de óculos do mundo. A companhia foi o produto de uma fusão entre a Luxottica, fundada pelo próprio, e a gigante francesa de lentes de prescrição Essilor em 2018.

Sabina Grossi, mãe de Clemente, foi conselheira da Luxottica e ex-chefe de relações com investidores da empresa.

del - Getty Images - Getty Images
Leonardo Maria Del Vecchio é um dos herdeiros da EssilorLuxottica
Imagem: Getty Images

Herança dividida

Após morrer em junho do ano passado, Leonardo Del Vecchio deixou um testamento envolvendo até mesmo pessoas de fora da família. Para sua esposa e filhos, ele dividiu em oito partes iguais o capital da Delfin. Sendo assim, todos detêm 12,5% da empresa e ativos avaliados em mais de 30 bilhões de euros (R$ 167 bilhões). As outras pessoas que também apareceram no testamento são: Francesco Milleri, presidente e CEO da EssilorLuxottica e presidente da Delfin, e Romolo Bardin, que é diretor da holding.

O império da Luxottica

A Luxottica combina fábricas, grifes e pontos de venda. A empresa italiana foi pioneira ao usar marcas de luxo no ramo ótico. A companhia está por trás de marcas como Ray-Ban e Vogue, além de ser responsável pela produção de óculos da Prada e da Oliver Peoples.

A Luxottica também marca presença em lojas de rua. A LensCrafters, maior varejista de ótica dos Estados Unidos, é de propriedade da empresa. A John Lewis Opticians, do Reino Unido, é gerida pela Luxottica, e a Sunglass Hut também pertence ao negócio.

Em janeiro de 2017, a Luxottica anunciou sua fusão com a fabricante de lentes Essilor. Na época, o valor de mercado da união dos negócios foi estimado em 46 bilhões de euros (cerca de R$ 256 bilhões, na cotação atual).

Passando a se chamar EssilorLuxottica, a empresa se tornou uma gigante global do setor de ótica. A fusão foi concluída em outubro de 2018.