Vale a pena comprar passagens aéreas na Black Friday?

A Black Friday de 2023 acontece no próximo dia 24, mas já é possível encontrar promoções antes da data oficial, no período de "esquenta". Para quem quer comprar passagens aéreas, especialistas dão algumas dicas importantes para que o consumidor não caia em golpes ou furadas. Veja abaixo os principais pontos de atenção.

Vale a pena comprar passagens na Black Friday?

Companhias aéreas e agências de viagens já anunciaram promoções. Mas é válido destacar que as passagens estão realmente mais caras este ano. A alta no IPCA de outubro (0,24%) foi fortemente influenciada pela disparada no preço das passagens, que subiram 23,7% no período. Foi o subitem que mais influenciou o resultado do mês.

Neste contexto de preços mais "salgados", tentar economizar pode ser desafiador. A influenciadora Nath Finanças deu algumas dicas de como comprar passagens mais baratas, mas de forma segura. No último dia 31, ela fez uma thread no X (antigo Twitter) destacando que após os casos Hurb e 123Milhas, de contratos descumpridos, é normal que algumas pessoas se sintam inseguras para comprar as passagens que tenham preços mais convidativos que o normal.

Nath citou cinco recomendações para uma compra segura e possivelmente mais barata. Ela mencionou a comparação de preços, a flexibilidade na escolha de datas, a criação de um alerta no e-mail (para o recebimento de promoções), o uso do modo anônimo no navegador para a pesquisa e, por fim, a utilização de milhas e pontos.

Planejar antes de comprar, realmente, é essencial. É o que diz Rodrigo Salvador, sócio da HCI Invest e planejadora financeira CFP. O especialista diz que não é possível garantir que a Black Friday terá preços mais atrativos — porque não se trata de algo "sistêmico". A própria Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas) diz que as empresas aéreas realizam com frequência promoções de passagens aéreas, não só em datas como a Black Friday.

O preço da passagem [aérea] tem outros fatores que influenciam, como combustível, além de oferta e demanda. A Black Friday é próxima das datas de fim de ano, que encarecem os preços [das passagens]. Então, depende da data em que você está marcando. É uma questão de análise, de acompanhar esses preços.
Rodrigo Salvador, sócio da HCI Invest e planejadora financeira CFP

Como saber onde comprar?

A dica "extra" da influenciadora Nath Finanças é utilizar o Reclame Aqui. Mais especificamente, buscar saber mais sobre a reputação da empresa que está vendendo as passagens ou pacotes de viagens. Para se ter uma ideia, a 123Milhas soma hoje quase 35 mil reclamações na plataforma. No caso do Hurb, são mais de 68 mil e uma nota 2 — com isso, a empresa tem o selo de "não recomendada".

Em 2022, o Hurb (antigo Hotel Urbano) não conseguiu honrar com os pacotes de viagem vendidos durante o período da pandemia. Na ocasião, a empresa oferecia pacotes para destinos nacionais e internacionais por preços muito abaixo dos praticados pelo mercado. As viagens, no entanto, só aconteceriam em dois anos ou mais.

Continua após a publicidade

Este ano, em agosto, foi a vez da 123Milhas fazer algo semelhante. A empresa disse que não honraria com os pacotes comprados na modalidade Promo, em que os clientes compravam as passagens com flexibilidade de data (podendo viajar um dia antes ou um dia depois da data escolhida). O dinheiro dos consumidores tampouco seria devolvido: a 123Milhas disponibilizou os valores despendidos em vouchers, que só poderiam ser utilizados dentro do próprio site da empresa.

Em agosto, a companhia pediu recuperação judicial. O pedido foi concedido pela justiça de Minas Gerais. Com a decisão, a juíza Cláudia Helena Batista suspendeu todas as ações e execuções contra a agência de viagens por 180 dias. Ao todo, são mais de 700 mil clientes na lista de credores.

Desconfie de preços muito baixos

"Quando o milagre é muito [grande], desconfie", diz Rodrigo. O planejador financeiro diz que é importante estranhar preços muito abaixo da média. Por isso é importante acompanhá-los, para se ter uma noção do quão barato uma viagem pode ser.

Rodrigo cita como exemplo a área de investimentos. Quando existe a promessa de uma rentabilidade muito acima da média, provavelmente se trata de algum esquema de pirâmide financeira.

Ele menciona justamente o caso da 123Milhas. A empresa é hoje investigada pela CPI das Pirâmides Financeiras e em outubro, a comissão pediu o indiciamento de oito pessoas ligadas à companhia. "A dica que eu deixo é: quando você vê que tem uma oferta muito fora [do comum], muito diferente do mercado, desconfie", diz.

Continua após a publicidade

A Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) também alertou os consumidores sobre possíveis golpes na data, para qualquer tipo de compra online. Adriano Volpini, diretor do Comitê de Prevenção a Fraudes da instituição, diz que nesta época do ano são comuns abordagens de criminosos com páginas falsas que simulam e-commerce; além de promoções inexistentes enviadas por e-mails, SMS e mensagens de WhatsApp, e a criação de perfis falsos que investem em mídia para aparecer em páginas e stories de redes sociais, inclusive com depoimentos falsos de compradores.

Para dar credibilidade a um produto que está sendo vendido, golpistas usam sites de vendedores de depoimentos e usam bancos de fotos e vídeos internacionais para dar crédito ao produto e enganar o consumidor.
Adriano Volpini, diretor do Comitê de Prevenção a Fraudes da instituição

Dá para viajar pagando menos?

O uso de milhas é sempre apontado por especialistas como uma boa opção para viajar pagando mais barato. Rodrigo Góes, planejador financeiro e especialista em milhas, diz que é muito mais vantajoso que as pessoas as acumulem e utilizem por conta própria.

Ele menciona, por exemplo, o congelamento de preços das passagens em alguns programas de fidelidade. Nesses casos, independentemente de fatores externos, o mesmo valor é praticado para um determinado trecho ao longo de todo o ano (não importa a época), desde que existam voos disponíveis.

O especialista diz que o mercado de milhas deve oferecer promoções na Black Friday. Isso vale tanto para a emissão de passagens como para a multiplicação de pontos que o cliente já tem.

Continua após a publicidade

"Com milhas, dá para viajar até de graça", afirma Góes. Mas aqui ele cita também a importância do planejamento: o ideal é tentar emitir as passagens com antecedência e, também, saber qual é a forma mais inteligente de movimentar as próprias milhas. Há dias específicos, por exemplo, em que a transferência dos pontos pode render bônus interessantes — o cliente potencializa ganhos sem ter que gastar mais.

O cliente tem que estar atento para valorizar ainda mais os pontos que ele tem. Um ponto principal é ficar atento ao prazo de validade, para não [a milha não] expirar e jogar dinheiro fora. Outro ponto é, sempre que tiver qualquer dúvida, entre do programa de fidelidade [app ou site]. Hoje em dia tem muitos golpes de pessoas recebendo e-mails, SMS, [que dizem] que os pontos estão vencendo e a pessoa tende a clicar. Não clique em nada, entre nos sites oficiais.
Rodrigo Góes, planejador financeiro e especialista em milhas

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes