Aposentada faz marmitas para complementar a renda: 'INSS não dá conta'

A aposentada Antonieta Ferreira Lopes, 72, começou a vender marmitas para complementar sua renda. Ela, que era ajudante geral, há três meses virou empreendedora e vende marmitas pela região da zona norte. Aposentada por tempo de serviço há mais de dez anos, ela recebe R$ 1.700 de benefício todo mês. A ideia de fazer as marmitas veio como uma forma de engordar a sua renda e trazer um pouco mais de conforto.

Antonieta começou a perceber que só a aposentadoria não estava dando conta das suas necessidades. "Esse mês, eu tenho que fazer meus óculos, e custa caro. Às vezes, eu viajo e preciso juntar um dinheirinho, comprar alguma coisa para mim; outras, as coisas podem apertar para o lado dos filhos, então, eu tinha que fazer alguma coisa para render o dinheiro", diz. Ela mora com dois netos, sendo um prestador de serviços e o outro estagiário do ensino superior. Ela não gasta com remédios de uso contínuo.

Com a marmitaria recém-aberta, ela consegue arrecadar um pouco mais de R$ 1.000 livres. Mas esse valor não inclui o que ela paga para um motoboy que faz as entregas e para a filha, responsável pela montagem das refeições. Apesar de gostar de cozinhar, nem sempre todo trabalho de preparação seguido das vendas semanais consegue dar um lucro compatível com os gastos, principalmente porque o preço dos ingredientes sempre varia, o que impacta no lucro.

Ela não é a única: há cerca de 7,5 milhões de pessoas com 60 anos ou mais que se mantêm na ativa no mercado de trabalho. O montante representa por volta de 7,6% da população ocupada do Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Dinheiro do INSS não é suficiente

Aposentadoria veio abaixo do esperado. A representante comercial Fran Manetta, 68, diz que o valor que recebe do INSS é abaixo do que ela esperava receber. Ela diz que antes de se aposentar pagava ao INSS por mês o equivalente a três salários mínimos, mas hoje recebe apenas R$ 2.800 mensais. "Eu achava que ia ter uma aposentadoria tranquila, que ia conseguir viajar, sair. No entanto, só de farmácia eu gasto R$ 700 todos os meses", declara. "O dinheiro da aposentadoria não sobe conforme a inflação. Aqui no Brasil a aposentadoria é triste."

Para complementar a renda, vende materiais pedagógicos. Ela é formada em contabilidade, mas ganhou a vida vendendo material pedagógico de porta em porta. A diferença é que, hoje, as vendas são pelo celular.

A aposentada deixa claro o seu cansaço. Ela também tem problemas de saúde que podem interromper seu trabalho e, consequentemente, a renda extra. "Se eu aguentar até os 70 será muito", declara.

Fran consegue tirar quase um salário mínimo, ou seja, R$ 1.320 mensais. Mas nem sempre esse valor está garantido mensalmente. Então, quando a situação aperta financeiramente, ela aciona os filhos.

Continua após a publicidade

Consegue pagar as contas, mas não há conforto. A aposentadoria da representante e do seu marido é suficiente para pagar as contas de água, mercado, feira, luz, remédios, plano de saúde, seguro de carro, telefone e internet, gasolina, IPTU, IPVA, TV a cabo, cigarro e pizza três vezes ao mês. Mas não vai além disso, diz ela.

Para controlar os gastos de casa, usa uma planilha há 50 anos. "Eu não dou um passo maior do que a minha perna. Entra um tanto e sai outro, como que a gente vai saber?", diz ela, que aprendeu a gerenciar o orçamento em um curso técnico em contabilidade. Agora, ela estuda a possibilidade de vender o carro e usar apenas Uber para as saídas de rotina ao médico do marido.

Quanto o INSS paga?

Qual é o valor médio do INSS? E a aposentadoria? Hoje, a quantia média paga pelo INSS (todas as espécies) é de R$ 1.868,35. Já para aposentadorias, a porção é de R$ 1.979,13.

Qual é a idade mínima para se aposentar pelo INSS? É necessário ter 65 anos para homens e 62 para mulheres, conforme tempo de contribuição ao INSS.

Qual é o teto de contribuição mínima e tempo de trabalho para se aposentar pelo INSS? É preciso ter ao menos 35 anos de contribuição para ter direito a 100% do valor. Se a média salarial for R$ 3.000, o valor a ser pago de aposentadoria será de R$ 2.700. Já o teto do INSS é de R$ 7.507,49.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes