Conteúdo publicado há 4 meses

Rede de supermercados Dia pede recuperação judicial, com dívida de R$ 1 bi

A rede de supermercados Dia entrou hoje com pedido de recuperação judicial, com dívidas que somam quase R$ 1,1 bilhão.

Como foi o pedido de recuperação judicial

Valor da ação é de R$ 1,081 bilhão. Em nota, o Dia disse ter feito "grandes investimentos e esforços no país, sem que tenha obtido o retorno esperado".

Pedido acontece após anúncio de reestruturação no país. Na semana passada, o grupo comunicou que fecharia 343 supermercados e 3 centros de distribuição e permaneceria somente em São Paulo.

Aproximadamente 240 unidades continuarão em operação em São Paulo, segundo a marca. "Desde sua chegada ao Brasil em 2001, o Grupo Dia realizou grandes investimentos e esforços no país, sem que tenha obtido o retorno esperado", disse o Dia em nota.

A empresa também afirmou que o pedido de RJ se limita exclusivamente ao Dia Brasil. Ou seja, não impacta a situação financeira na Espanha e na Argentina, "onde atualmente atingiu uma posição relevante com a estratégia focada na distribuição alimentar de proximidade".

História do Dia

A empresa nasceu em Madri, na Espanha, em 1979. Em 1993, começou sua expansão internacional por Portugal. Abriu a primeira loja na Argentina em 1997, e no Brasil, em 2001. O Dia, sigla para Distribuidora Internacional de Alimentos, disse que vem tendo "persistentes resultados negativos" no país.

A rede de supermercados também atua por meio de franquias no Brasil. A rede de fornecedores para as lojas próprias e franquias é a mesma.

A empresa é reconhecida pelos seus produtos de marca própria. Em 2021, fez uma grande reforma nas lojas, para oferecer mais perecíveis e itens de padaria, com frutas, legumes, verduras e pães frescos.

Continua após a publicidade

Em fevereiro, o grupo Dia anunciou prejuízo líquido anual de 30 milhões de euros. O resultado é melhor que o registrado em 2022, quando ficou 124 milhões de euros no vermelho. No ano passado, a rede fechou as 500 lojas em Portugal.

O que aconteceu com a rede Dia

O UOL teve acesso ao pedido de RJ enviado ao Tribunal de Justiça de São Paulo. O faturamento em 2023 foi de R$ 3,9 bilhões. Para 2024, deve ser de R$ 2,5 bilhões, com o fechamento das lojas.

A empresa teve rentabilidade negativa em 2023. A margem Ebitda foi de -8,1%. Para este ano, a rede Dia espera que a margem suba para 2,5%.

Os alimentos ficaram muito mais caros, principalmente soja, milho e trigo. Entre as razões para as perdas, a empresa diz que a guerra na Ucrânia e a pandemia da covid-19 aumentaram muito o preço das commodities em todo o mundo. E são justamente esses itens que os consumidores mais buscam ao entrar em suas lojas, afirma a marca.

Deixe seu comentário

Só para assinantes