UE paralisa aquisição de US$ 43 bi da Syngenta pela ChemChina

BRUXELAS, 28 Out (Reuters) - Reguladores antitruste da União Europeia abriram nesta sexta-feira uma investigação detalhada sobre a oferta de 43 bilhões de dólares do grupo químico estatal da China ChemChina para o grupo suíço de pesticidas e sementes Syngenta, a maior aquisição estrangeira pela China já registrada.

As ações da Syngenta caíram mais de 9 por cento na segunda-feira após a Comissão Europeia dizer que as companhias não haviam atenuado suas preocupações sobre o acordo, aumentando a perspectiva de uma investigação mais longa.

A Comissão disse que a fusão poderia prejudicar a competitividade, uma vez que a Syngenta e a ChemChina, por meio de sua subsidiária agrícola Adama Agricultural Solutions, tinham portfolios duplicados na fabricação de produtos de proteção à safra como herbicidas, inseticidas, fungicidas e reguladores de crescimento de plantas.

"Esse acordo levaria à combinação de uma das maiores empresas de proteção à lavoura com uma de suas competidoras genéricas.

Portanto, nós precisamos analisar cuidadosamente se a proposta de fusão levaria a preços mais altos ou a uma redução de escolha para os produtores", disse Margrethe Vestager, comissária de Competição da UE.

A Comissão vai decidir até 15 de março se aprova o acordo.

A ChemChina submeteu uma proposta à Comissão em setembro, incluindo um plano para desinvestir cerca de 20 milhões de dólares em ativos da Adama Agricultural Solutions, disse à Reuters uma fonte baseada em Pequim.

(Por Julia Fioretti)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos