Bolsas

Câmbio

Desemprego na América Latina tem nível mais alto desde o início da década passada, diz OIT

LIMA (Reuters) - O desemprego na América Latina e no Caribe subiu neste ano para o nível mais alto desde o início da década passada, a 8,1%, devido à contração da economia da região, principalmente no Brasil, na Argentina e na Venezuela, disse nesta quarta-feira (14) a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

  • 49549
  • true
  • http://economia.uol.com.br/enquetes/2016/07/01/o-que-voce-faz-para-driblar-a-crise.js

A taxa de desemprego deu um salto preliminar de 1,5 ponto percentual ante os 6,6% do ano passado e a expectativa é de que suba para 8,4% em 2017, disse a agência em comunicado.

"Este nível de desemprego não havia sido observado desde o início da década passada, nem mesmo durante a crise financeira internacional entre 2008 e 2009", disse a OIT.

O número de desempregados na região exportadora de matérias-primas cresceu neste ano para 25 milhões de pessoas, cerca de cinco milhões de desempregados a mais na comparação com 2015, completou a organização.

Aumento em 2017

Para o próximo ano, o aumento projetado da taxa significa que haverá 1,3 milhão de desempregados a mais na América Latina e no Caribe, acrescentou.

A OIT disse que o aumento da taxa de desemprego neste ano foi um fenômeno mais generalizado, porque ela cresceu em 13 dos 19 países que possuem dados disponíveis.

A OIT destacou a previsão de aumento da taxa de desemprego no Brasil de 2,9 pontos percentuais, enquanto no México ela deve cair em 0,4%.

(Por Teresa Céspedes)

Retrospectiva: veja o que marcou a economia mundial em 2016

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos