Bolsas

Câmbio

Participação da soja brasileira em importações da China atinge recorde em 2017

Por Hallie Gu e Naveen Thukral

PEQUIM/CINGAPURA (Reuters) - A participação do Brasil nas exportações de soja para a China, o maior comprador mundial da commodity, cresceu para o maior nível já registrado em 2017 e tende a se expandir neste ano, impulsionada por preços competitivos e pelo alto teor protéico da oleaginosa brasileira.

Esse é outro golpe para o exportador rival do Brasil, os Estados Unidos, que lida com regras de qualidade mais duras em seus embarques para a China neste ano, bem como com os mercados globais bem ofertados após safras volumosas nos últimos anos.

A China, que importa 60 por cento da soja comercializada em todo o mundo, comprou 50,93 milhões de toneladas do Brasil em 2017, representando 53,3 por cento do total de compras, de acordo com dados aduaneiros divulgados nesta quinta-feira.

Os compradores chineses usam principalmente soja para produzir óleo de cozinha e ingredientes para alimentação animal.

As vendas dos EUA chegaram a 32,9 milhões de toneladas, ou 34,4 por cento das importações da China, a menor participação para o país pelo menos desde 2006.

"As importações de soja do Brasil para a China devem continuar crescendo neste ano... A oleaginosa brasileira terá uma vantagem nos preços e (conteúdo de) proteína", disse Tian Hao, analista sênior da First Futures na cidade chinesa de Tianjin.

O Brasil ultrapassou os Estados Unidos em 2012 como o principal fornecedor de soja à China, com suas exportações com preços atraentes, já que conta com mercados estrangeiros para vendas devido à demanda interna e ao armazenamento limitados.

A soja brasileira também possui maior nível de proteína ante a dos EUA, tornando-a mais atraentes para os produtores de alimentos para animais.

(Por Hallie Gu, Naveen Tukral e Gavin Maguire)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos