Bolsas

Câmbio

EXCLUSIVO-Grupo liderado pela Vitol negocia compra de ativos da Petrobras na Nigéria, dizem fontes

Por Ron Bousso e Julia Payne

SÃO PAULO (Reuters) - Um consórcio liderado pela trading de petróleo Vitol entrou em conversas exclusivas com a Petrobras para comprar fatias em campos marítimos de petróleo da estatal brasileira e parceiros na Nigéria, disseram fontes do setor.

Os ativos estão avaliados em 2,5 bilhões de dólares, disseram à Reuters duas fontes bancárias e uma da indústria do petróleo.

Os compradores estão conversando com a Petrobras, que está liderando o processo de venda, segundo as fontes.

O consórcio comprador envolve a Vitol, a Africa Oil, com sede em Vancouver, e a Delonex Energy, uma companhia de petróleo com foco na África que conta com o suporte do fundo de private equity Warburg Pincus e da International Finance Corporation (IFC).

Delonex, Petrobras e Vitol não quiseram comentar. A Africa Oil não respondeu um pedido de comentário.

O grupo liderado pela Vitol foi o vitorioso entre um número de consórcios que se interessaram pelos ativos nas duas primeiras rodadas, que incluíam a trading de commodities rival, Glencore.

Afundada em dívidas, a Petrobras lançou a venda da Petrobras Oil & Gas BV, ou Petrobras Africa, em que possui fatia de 50 por cento, como parte de planos de desinvestimentos.

A venda, anunciada no ano passado, inclui a fatia de 40 por cento da Petrobras Africa que pertence a uma subisidiária do BTG Pactual e 10 por cento do Helios Investment Partners.

O Scotiabank está administrando o processo com o Evercore, de acordo com o documento.

O acordo ofereceria ao consórcio participação em alguns dos maiores e menos custosos campos da Ningéria.

A Vitol deve ser responsável pela maior parte do investimento, gastando estimados 1 bilhão de dólares, de acordo com uma fonte.

A Petrobras Africa tem participação em dois blocos offshore, conhecidos como OMLs, que contêm dois campos produtores. O campo Agbami em OML 127 é operado por uma subsidiária da Chevron e o campo Akpo em OML 130 é operado pela Total.

O campo de petróleo Agbami é o principal, produzindo cerca de 240 mil bpd. A Petrobras Africa tem 12,5 por cento no campo, a Statoil tem 20,2 por cento, e a Chevron, 67,3 por cento.

O campo de Akpo produz quase 130 mil barris por dia (bpd) de condensado, e a Total também deve iniciar a produção na área em desenvolvimento de Egina, no OML 13, neste ano.

(Por Ron Bousso e Julia Payne)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos