ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Governo crê em queda de liminar contra privatizações

Luciano Costa e Rodrigo Viga Gaier)

28/06/2018 12h51

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo federal está confiante de que será possível derrubar liminar do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski que exige consulta prévia ao Legislativo antes de privatizações, disse nesta quinta-feira (28) o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

O objetivo, ressaltou ele, é evitar que a decisão do ministro do STF impeça a realização de um leilão para a venda de seis distribuidoras de eletricidade da estatal Eletrobras.

"Claro que acredito que haverá de prevalecer o bom senso, e o bom senso indica que a melhor solução sob todos pontos de vista é a realização da transferência (do controle das distribuidoras) para empresas privadas, que estão inclusive interessadas", afirmou Moreira.

Leia também:

O leilão das deficitárias distribuidoras, que tem afetado negativamente os resultados da Eletrobras, está agendado para 26 de julho.

Segundo uma fonte ouvida pela agência de notícias Reuters, a AGU (Advocacia-Geral da União) vai recorrer ainda nesta quinta-feira (28) da decisão do ministro.

Lewandowski ainda concedeu uma outra liminar que suspende o leilão de privatização da Ceal (Companhia Energética de Alagoas), distribuidora da Eletrobras.

"A AGU já está se movimentando, e a expectativa é que a medida seja revertida até sexta-feira", disse a fonte, na condição de anonimato.

A iniciativa de entrar com o processo para impedir a desestatização da Ceal foi da Procuradoria-Geral do Estado de Alagoas.

"Foi uma decisão política", avaliou a fonte. "O que se espera é a cassação da liminar, mas caso não se consiga, faz o leilão sem a Ceal", completou.

Transmissão

O ministro, que falou ao chegar para um leilão de concessões para linhas de transmissão de energia agendado para esta quinta-feira, mas que ainda não foi iniciado também devido a uma decisão judicial, disse ainda que os obstáculos jurídicos para a realização do certame foram solucionados.

"A questão jurídica já está resolvida, agora está se cumprindo aí questões de natureza burocrática e creio que rapidamente o leilão começará", disse ele, sem citar um horário.

O leilão estava previsto para ser iniciado às 9h.

Dicas para economizar energia

UOL Notícias

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia