PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Com entrada em vigor de tarifas, China culpa EUA por "maior guerra comercial" da história

Christian Shepherd e David Lawder

06/07/2018 07h11

PEQUIM/WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos e a China adotaram tarifas sobre US$ 34 bilhões em importações um do outro nesta sexta-feira (6), com Pequim acusando Washington de desencadear "a maior guerra comercial" da história em uma forte intensificação do conflito que já dura meses.

Horas antes do prazo de Washington para que as tarifas entrassem em vigor, o presidente norte-americano, Donald Trump, aumentou o tom, alertando que os EUA poderiam visar mais de US$ 500 bilhões em produtos chineses, ou o volume total das importações norte-americanas da China no ano passado.

Leia também:

O Ministério do Comércio da China, em comunicado pouco depois do prazo dos EUA, afirmou que foi forçado a retaliar, o que significa que US$ 34 bilhões em produtos dos EUA importados, incluindo automóveis e produtos agrícolas, também serão sobretaxados em 25%.

Entretanto, um atraso subsequente até que Pequim confirmasse que havia implementado tarifas retaliatórias causou confusão nos mercados.

"Após os EUA terem elevado de forma injusta as tarifas contra a China, a China imediatamente colocou em vigor a elevação de tarifas sobre alguns bens dos EUA", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Lu Kang, em entrevista na sexta-feira.

Alguns portos chineses adiaram a liberação de produtos dos EUA, disseram quatro fontes. Aparentemente não havia nenhuma instrução direta para reter os carregamentos, mas alguns departamentos alfandegários aguardavam orientação oficial sobre a imposição de tarifas adicionais, explicaram as fontes.

Antes da implementação das tarifas, não havia sinais de novas negociações entre autoridades chinesas e norte-americanas, de acordo com fontes empresariais de Washington e Pequim.

"Provavelmente podemos dizer que a guerra comercial oficialmente começou", disse Chen Feixiang, professor de economia aplicada da Faculdade de Economia e Administração Antai, da Univerdade Xangai Jiaotong.

"Se isso acabar em US$ 34 bilhões, terá um efeito marginal sobre ambas as economias. Mas se aumentar para US$ 500 bilhões como Trump disse, então terá um grande impacto para ambos os países", completou Chen.

Será que a China é mesmo um país comunista?

UOL Notícias