PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Preço do diesel da Petrobras deve subir 10% com nova fórmula de subvenção, diz UBS

Por José Roberto Gomes

30/08/2018 16h28

SÃO PAULO (Reuters) - O preço médio do diesel nas refinarias da Petrobras deverá subir cerca de 10% com a implementação de uma nova fórmula integrante do programa de subvenção econômica ao produto, e a proximidade com as eleições presidenciais representa um risco, disseram analistas do banco UBS em nota nesta quinta-feira (30).

Importadores e outras pequenas refinarias de petróleo que aderirem ao programa também devem ser beneficiados pelo aumento do chamado Preço de Comercialização.

O derivado de petróleo para quem participa do programa, como a Petrobras, que praticamente detém o monopólio de refino no país, está com valor congelado desde junho, a R$ 2,0316 por litro, graças à subvenção oferecida pelo governo como parte de um acordo fechado à época com caminhoneiros para encerrar os protestos que paralisaram o país.

A Petrobras não foi ressarcida até o momento pela reguladora ANP por manter a cotação do diesel fixa, e a partir de sexta-feira o produto será reajustado tendo por base uma cotação de referência definida pela autarquia --o novo valor valerá por 30 dias, em uma dinâmica prevista para ocorrer até o fim do ano.

"O aumento do preço na refinaria deve dar algum alívio à Petrobras... No entanto, de outro ângulo vemos uma alta de 10% apenas um mês antes das eleições como um risco e podemos ver algumas discussões sobre como, quando e se devemos fazer isso", destacaram os analistas do UBS.

A nova metodologia para o cálculo do preço de referência para subsídio ao diesel foi anunciada na segunda-feira (27).

As empresas participantes do programa poderão ser ressarcidas em até R$ 0,30 por litro pelo governo, dependendo das condições do mercado.

Enquanto o preço do diesel está congelado há três meses, o da gasolina vem disparando nas refinarias, em razão do câmbio e da firmeza do petróleo no mercado.

A partir de sexta-feira (31), a gasolina será comercializada a R$ 2,1375 por litro nas refinarias, máxima dentro da era de reajustes diários.