PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

UE promete elevar tarifas de automóveis se Trump renegar acordo

31/08/2018 08h46

BERLIM (Reuters) - A União Europeia responderá da mesma forma se o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, renunciar à promessa de se abster da imposição de tarifas sobre automóveis da região, disse o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, enquanto as tensões comerciais entre a Europa e os Estados Unidos aumentavam novamente.

Juncker disse à emissora alemã ZDF nesta sexta-feira que a UE não deixará ninguém determinar suas políticas comerciais. Se Washington decidiu impor tarifas de automóveis depois de tudo, "então nós também faremos isso".

Trump rejeitou na quinta-feira uma oferta da UE para eliminar tarifas sobre carros e disse que as políticas comerciais da UE são "quase tão ruins quanto as da China", informou a Bloomberg News.

Juncker disse que negociou um "acordo para acessar-fogo" com Trump em julho e, apesar de tais acordos serem frequentemente ameaçados, eles geralmente são respeitados.

A chanceler Angela Merkel deve se reunir com Juncker na terça-feira, informou a porta-voz do governo alemão, Ulrike Demmer, nesta sexta-feira. Ela se recusou a comentar sobre as últimas declarações de Trump, mas disse que a Alemanha fundamentalmente procurou reduzir as barreiras comerciais e promover o livre comércio.

A questão comercial também deve ser abordada quando Merkel se encontrar com o presidente francês, Emmanuel Macron, na França, nesta sexta-feira.

A UE continua em desacordo com os Estados Unidos em relação ao bloqueio dos Estados Unidos à nomeação de juízes na Organização Mundial do Comércio, às tarifas estabelecidas por razões de segurança nacional e à dura postura de Washington em relação à China.

Trump havia concordado em julho em conter as tarifas de 25 por cento sobre as importações de automóveis, enquanto os Estados Unidos e a Europa falavam em cortar outras barreiras comerciais, mas as autoridades americanas ficaram frustradas com o ritmo lento do progresso.

(Por Andrea Shalal com reportagem adicional da Marine Pennetier)

PUBLICIDADE