PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Cotações

Adiamento de tarifas comerciais pelos EUA fornece alívio, e índices europeus sobem

Por Helen Reid

25/02/2019 17h24

LONDRES, 25 Fev (Reuters) - A decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de adiar o aumento das tarifas de importação de produtos chineses impulsionou as ações europeias para o nível mais alto desde outubro nesta segunda-feira, com o avanço de montadoras de veículos liderando os ganhos.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,22 por cento, a 1.463 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,26 por cento, a 372 pontos.

Trump afirmou no domingo que vai adiar o aumento das tarifas norte-americanas sobre produtos chineses graças a negociações comerciais "produtivas", dizendo que ele e o presidente da China, Xi Jinping, vão se encontrar para selar um acordo se o progresso continuar.

O índice que reúne ações de montadoras de veículos subiu 2,1 por cento, para o nível mais alto desde o início de novembro, e o setor de recursos básicos ganhavam 0,9 por cento. O movimento ocorreu porque o adiamento das tarifas forneceu alívio para as empresas sob maior risco diante da desaceleração do comércio global.

As fabricantes de autopeças Hella, Faurecia e Valeo tiveram os melhores desempenhos, com altas de 3,2 a 4,3 por cento.

Entretanto, alguns investidores permaneceram cautelosos. "Acho que a parte mais fácil está feita", disse Stephane Dutu, analista da Unigestion. "Acredito que o Sr. Trump promoveu exageradamente os aspectos positivos das discussões...o acordo geral será menos impressionante do que os chineses e especialmente o Sr. Trump estão dizendo."

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,07 por cento, a 7.183 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,42 por cento, a 11.505 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,31 por cento, a 5.231 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,86 por cento, a 20.436 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 fechou estável, a 9.204 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,01 por cento, a 5.153 pontos.

Cotações