Topo

China apresenta reforma dos juros para reduzir custos de financiamento a empresas

Lusha Zhang e Kevin Yao

19/08/2019 07h31Atualizada em 19/08/2019 08h50

PEQUIM (Reuters) - O banco central da China apresentou uma importante reforma dos juros no sábado para ajudar a reduzir os custos de empréstimo para empresas e sustentar a economia, que vem sendo afetada pela guerra comercial com os Estados Unidos.

O Banco do Povo da China afirmou que irá melhorar o mecanismo usado para estabelecer a principal taxa de empréstimo (LPR) a partir deste mês, em uma medida para reduzir a taxa de juros real a empresas, como parte das reformas de mercado.

Analistas disseram que a medida, que foi tomada após dados mostrarem crescimento mais fraco do que o esperado em julho, destaca as tentativas do governo de usar reformas para sustentar a economia.

"Ao reformar e melhorar o mecanismo de formação da LPR, poderemos usar os métodos de reforma baseados no mercado para ajudar a reduzir as taxas de empréstimo reais", disse o banco central, em comunicado publicado em seu site.

O banco central vai "aprofundar a reforma da taxa de juros baseada no mercado, melhorar a eficiência da transmissão dos juros e reduzir os custos de financiamento da economia real", disse.

As cotações de novos LPR dos bancos chineses serão baseadas em juros das operações de mercado aberto, e o centro nacional de financiamento interbancário será autorizado a publicar a taxa a partir de 20 de agosto, disse o banco central. Ele acrescentou que a taxa será publicada todo mês no dia 20, a começar deste mês.

Os bancos devem determinar os juros de novos empréstimos referindo-se principalmente ao LPR, e usar o LPR como referencial para as taxas flutuantes de empréstimos, disse o banco central.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia