PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Moro defende chefe da PF e admite "alguns" revezes no combate à corrupção

27/08/2019 17h49

BRASÍLIA (Reuters) - Em um momento em que teve sua "carta branca" de nomear sua equipe contestada pelo presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, defendeu nesta quarta-feira o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, disse que o presidente tem compromisso com o combate à corrupção e que o governo tem avançado nessa área, mas admitiu que há "alguns revezes".

"O presidente Jair Bolsonaro tem um compromisso com a prevenção e o combate à corrupção. Esse foi um dos temas centrais que me levaram a aceitar esse convite. Eu creio que o governo tenha avançado nessa área. Claro que, às vezes, há alguns reveses. Mas nós temos avançado no enfrentamento da corrupção", disse Moro, na abertura do seminário Métodos de Combate à Corrupção, organizado pela PF e realizado no edifício sede do Ministério da Justiça.

Em sua fala, Moro --que ficou mundialmente conhecido por sua atuação como juiz da operação Lava Jato-- não especificou quais revezes estaria passando. Ele aproveitou o ocasião para fazer um "cumprimento especial" ao diretor-geral Maurício Valeixo, que disse estar fazendo um "trabalho extraordinário" à frente da PF.

Na semana passada, Bolsonaro chegou a dizer que, se não podia trocar o superintendente da corporação no Rio de Janeiro, podia trocar o diretor-geral.

(Por Ricardo Brito)