PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Japão estuda ampliar gastos com ajuda de 2° Orçamento extra de combate a consequências de pandemia

11/05/2020 09h15

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O Japão tomará medidas de estímulo adicionais "rapidamente" para combater as consequências da pandemia de coronavírus, disse seu primeiro-ministro, Shinzo Abe, sinalizando prontidão para compilar um segundo Orçamento suplementar.

O novo pacote de medidas visa amortecer o golpe para a terceira maior economia do mundo, que está à beira de uma profunda recessão em meio à queda na demanda global e a um estado de emergência local que foi prorrogado até o final de maio.

Abe disse que o governo considerará medidas adicionais, como ajuda a empresas que estão lutando para pagar aluguel, apoio a estudantes que perderam empregos de meio período e mais subsídios a empresas afetadas pela queda nas vendas.

"Se decidirmos que medidas adicionais são necessárias, tomaremos medidas ousadas e oportunas", disse Abe ao Parlamento nesta segunda-feira, quando perguntado por um parlamentar da oposição se o governo irá compilar um segundo Orçamento extra para financiar as medidas adicionais.

"É importante agir com rapidez", disse ele, acrescentando que o governo está pronto para compilar o segundo Orçamento extra a tempo de ser aprovado.

Abe se recusou a dizer qual poderia ser o tamanho dos gastos, dizendo que a decisão dependerá de quantas prefeituras serão capazes de suspender as medidas de emergência agora aplicadas em todo o país.

Ao prorrogar as medidas até o final de maio, o governo disse que reavaliará a situação em 14 de maio e possivelmente as flexibilizará mais cedo para algumas prefeituras.

"Faremos o possível para ajudar as empresas a sustentar seus negócios e proteger empregos", disse Abe, acrescentando que o governo "agirá rapidamente", levando em consideração as propostas feitas pelos parlamentares do governo e da oposição.

O Japão compilou um pacote de estímulo econômico recorde de 1,1 trilhão de dólares em abril, focado em pagamentos em dinheiro a famílias e empréstimos a pequenas empresas afetadas pela pandemia.