PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Dólar recua ante real em ajuste após rali da semana passada

29/06/2020 09h10

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar registrava perdas contra o real nesta segunda-feira devido ao reajuste de posição dos investidores após fortes ganhos para a moeda norte-americana na semana passada, também refletindo o fim de semana calmo para a política brasileira.

Às 11:10, o dólar recuava 0,38%, a 5,4446 reais na venda. Na mínima do dia, o dólar foi a 5,3929 reais na venda.

O dólar futuro de maior liquidez operava em queda de 0,88%, a 5,4365 reais.

Denilson Alencastro, economista-chefe da Geral Asset, disse à Reuters que o movimento desta sessão é um ajuste depois das fortes perdas registradas pela moeda norte-americana na última sexta-feira devido a temores sobre uma segunda onda de Covid-19, quando o dólar spot registrou ganho de 2,58% contra o real, a 5,4652 reais na venda.

Além disso, "a gente inicia a semana com alguns indicadores mostrando recuperação, e os investidores vendo o copo 'meio cheio'", completou.

A recuperação da confiança econômica na zona do euro se intensificou em junho após retomada modesta em maio, com melhora em todos os setores, mostraram dados da Comissão Europeia nesta segunda-feira, enquanto, no Brasil, a confiança da indústria mostrou forte recuperação.

Segundo analistas da Infinity Asset, o contexto atual está baseado em movimentos meramente pontuais devido à incerteza gerada pela pandemia. "Os investidores constantemente se veem frente ao dilema de responder à (oferta histórica de) liquidez ou à realidade do cenário, o qual em todos os pontos de vista é muito ruim", explicaram em nota.

No lado dos riscos negativos, os mercados citavam a alta nos casos de Covid-19 nos Estados Unidos nos últimos dias após a reabertura econômica de várias regiões do país, enquanto o total global de mortes pela doença superou 500 mil óbitos.

Enquanto isso, no cenário local, o fim de semana foi mais calmo para a política brasileira, uma vez que não houve grandes manifestações no país e o presidente Jair Bolsonaro não deu declarações públicas.

"Bolsonaro parece ter adotado posição mais tranquila, tentando negociar com o centrão e amenizando o clima político", disse Denilson Alencastro. No entanto, isso "não significa trégua definitiva" para a política ou para o real, acrescentou.

No acumulado de 2020, o dólar tem alta de cerca de 35% contra a moeda brasileira, impulsionado pelo cenário de juros baixos, incertezas políticas e econômicas.

"Por conta do diferencial de juros que a gente tem, é difícil justificar colocação no Brasil no que diz respeito à renda fixa", disse Alencastro, ressaltando que, daqui para frente, o crescimento "tem uma importância bem considerável no que veremos no preço da moeda (dólar) nos próximos períodos".

Nesta segunda-feira, o Banco Central fará leilão para rolagem de até 12 mil contratos de swap tradicional com vencimento em novembro de 2020 e março de 2021.

(Por Luana Maria Benedito)