PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Procurador-geral Aras é mais um que participou de posse de Fux no comando do STF e está com Covid-19

17/09/2020 14h11

Por Ricardo Brito e Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O procurador-geral da República, Augusto Aras, foi diagnosticado com Covid-19, informou a assessoria de imprensa da Procuradoria-Geral da República (PGR), engrossando a lista de autoridades que foram infectados pelo novo coronavírus.

"O procurador-geral da República testou positivo para Covid-19. O resultado do exame saiu nesta quinta-feira. Augusto Aras passa bem e está em isolamento, despachando remotamente", informou o órgão.

Na quinta-feira passada, Augusto Aras participou presencialmente da posse do novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. Várias autoridades que participaram da solenidade, incluindo o próprio Fux, foram infectados pelo novo coronavírus que causa a Covid-19.

Além de Fux e Aras, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Maria Cristina Peduzzi, e os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Luis Felipe Salomão e Antonio Saldanha estiveram no ato e posteriormente pegaram Covid-19. Não é possível saber, entretanto, se eles foram infectados na solenidade.

Mais cedo, a Presidência do STF divulgou uma nota à imprensa acerca da contaminação de autoridades pelo novo coronavírus no qual presta solidariedade e votos de ampla recuperação, além de detalhar medidas adotadas para o evento da semana passada.

"O Tribunal destaca que todas as medidas de segurança, protocolos e procedimentos recomendados pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde foram adotados rigorosamente para a realização da solenidade de posse da nova gestão (2020-2022)", informou.

A nota disse que somente 20% dos assentos do plenário do Supremo foram ocupados; houve obrigatoriedade do uso de máscaras; todos os presentes foram submetidos à medição de temperatura corporal; dezenas de totens com álcool-gel foram alocados em pontos estratégicos do tribunal; além de outras providências, como plantão médico e UTI móvel, foram tomadas.

O Supremo disse ainda que, por meio do setor de cerimonial, está em contato com os convidados para alertá-los a buscar o serviço médico, em caso de exposição.

A Reuters confirmou com a assessoria do STF que houve 157 diagnosticados com Covid-19 como um todo no Supremo desde o início da pandemia. A maioria das contaminações, no entanto, ocorreu fora do tribunal porque quase todos os servidores estão em home office, acrescentou a assessoria.

"O STF, desde o início da pandemia, tem demonstrado elevado senso de responsabilidade, seja ao dar prioridades aos julgamentos de casos que envolvam a Covid-19, seja ao implementar trabalho remoto para seus servidores e colaboradores ou mesmo ao implementar ferramentas tecnológicas que permitam a efetiva prestação jurisdicional, preservando o distanciamento social e a segurança dos operadores do Direito", disse a assessoria do STF na nota.

"De qualquer forma, ainda que esteja segura quanto às medidas de precaução adotadas dentro de suas instalações, a Corte Suprema brasileira estuda novos procedimentos para tornar ainda mais segura a presença de servidores e visitantes do STF", concluiu.

Os presidentes dos Três Poderes já contraíram a Covid-19. Além de Fux, os presidentes da República, Jair Bolsonaro, e do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) também foram infectados.