PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Bolsonaro defende interferência na Petrobras e fala em previsibilidade para combustíveis

Bolsonaro disse a apoiadores que a Petrobras busca fórmula para garantir previsibilidade aos reajustes dos combustíveis - Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo
Bolsonaro disse a apoiadores que a Petrobras busca fórmula para garantir previsibilidade aos reajustes dos combustíveis Imagem: Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

Ricardo Brito

Da Reuters, em Brasília

28/05/2021 20h35

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou hoje a apoiadores que interferiu na troca do comando da Petrobras e ressaltou que a nova diretoria da companhia petrolífera, presidida pelo general Joaquim Silva e Luna, está finalizando estudos a respeito de uma fórmula para garantir previsibilidade aos reajustes dos combustíveis.

"Da nossa parte eu troquei o comando da Petrobras. No começo foi um escândalo. É para interferir mesmo, eu sou o presidente. Ou eu assumo e tenho que manter todo mundo empregado?", disse Bolsonaro em encontro com apoiadores, segundo transmissão por rede social.

"Ele (novo presidente da Petrobras) está ultimando aí estudos com o conselho novo também que foi colocado lá para ter previsibilidade no aumento de combustíveis", afirmou o presidente referindo-se a Silva e Luna, acrescentando depois que "não é interferência".

Em março, o presidente decidiu demitir o então CEO da Petrobras, Roberto Castello Branco, após se mostrar insatisfeito com os sucessivos aumentos no preço dos combustíveis desde o início do ano. Essa decisão gerou forte impacto no mercado.

Questionado por um simpatizante a respeito da expectativa de queda do preço dos combustíveis, o presidente respondeu:

"Olha, tem uma fórmula automática lá que varia de acordo com o preço do petróleo lá fora e o valor do dólar aqui dentro. Daí eu falei: se é para reajustar desta maneira, pode botar um qualquer lá na Petrobras, é só seguir a fórmula? Alguém que saiba somar e subtrair, não precisa nem saber multiplicar e dividir".

O presidente também comentou na conversa com os apoiadores sobre a crise hídrica e as preocupações com o impacto na geração energética. "Estamos vivendo uma das maiores crises energéticas do país, crise hidrológica, tem problema", afirmou.