PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Privatização da Eletrobras será revista em eventual governo Lula, diz líder do PT

Logo da Eletrobras - Reprodução
Logo da Eletrobras Imagem: Reprodução

16/02/2022 18h27Atualizada em 16/02/2022 18h56

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O líder do PT na Câmara, Reginaldo Lopes (MG), afirmou nesta quarta-feira que a privatização da Eletrobras deve ser impedida e passará por uma revisão em um eventual novo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em texto divulgado pela liderança do PT nesta quarta-feira, o deputado classificou o processo de privatização de "criminoso" e disse que a venda da estatal "a preço de banana" enfraquece a soberania nacional e pode implicar em prejuízos para os consumidores.

"Eu quero avisar ao mercado: se participarem dessa farra, nós vamos fazer uma revisão dessa privatização no próximo governo, porque é inaceitável o que estão fazendo com a nossa soberania e o nosso sistema energético", diz o texto publicado no site do PT.

Já o ex-presidente Lula, em seu perfil oficial do Twitter, declarou esperar que "os empresários sérios que querem investir no setor elétrico brasileiro não embarquem nesse arranjo esquisito que os vendilhões da pátria do governo atual estão preparando para a Eletrobrás, uma empresa estratégica para o Brasil, meses antes da eleição".

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou em plenário na terça-feira o valor de outorga que será cobrado da Eletrobras para renovar as concessões de um grupo de hidrelétricas sob um novo regime, em um passo fundamental para a realização da privatização da empresa.

O bônus de outorga havia sido definido em 25,3 bilhões de reais pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). O montante deve ser pago à União na privatização, pela renovação por 30 anos de um grupo de hidrelétricas que operam sob regime de cotas.

Reginaldo Lopes lembrou que o PT pretende suspender assembleia geral da Eletrobras convocada para o dia 22.