PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Órgão global de bancos diz que sanções dos EUA sobre Rússia terão impacto significativo

Pessoas passam em frente à sede do Banco Central da Rússia em Moscou - Maxim Shemetov/Reuters
Pessoas passam em frente à sede do Banco Central da Rússia em Moscou Imagem: Maxim Shemetov/Reuters

Elizabeth Dilts Marshall

Da Reuters

24/02/2022 18h03Atualizada em 24/02/2022 18h18

O Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês), maior grupo bancário internacional, disse nesta quinta-feira que as sanções norte-americanas contra a Rússia terão impacto considerável na economia e nos cidadãos russos, podendo causar recessão.

"A conclusão é que essas sanções terão um impacto significativo na economia geral da Rússia, e o cidadão médio russo sentirá o custo", disse o grupo em comunicado.

"Essas sanções visam o sistema financeiro doméstico da Rússia, causando corridas bancárias e forçando o banco central da Rússia a continuar elevando as taxas. Como resultado, provavelmente veremos um crescimento negativo em uma economia que já foi prejudicada pelo crescente isolacionismo."

Depois que a Rússia lançou uma invasão sobre a Ucrânia, o presidente dos EUA, Joe Biden, impôs novas sanções contra bancos russos e empresas estatais, o que impedirá o país de fazer negócios com as principais moedas do mundo.

Biden disse que as sanções, que se aplicam aos dois maiores bancos da Rússia e limitam a capacidade do país de fazer negócios em dólares, euros, libras e ienes, foram projetadas para ter impacto de longo prazo e minimizar repercussões sobre os Estados Unidos e seus aliados.

As sanções, que se somam a algumas anunciadas no início da semana, não visam o acesso da Rússia ao provedor de pagamentos Swift, usado por mais de 11 mil bancos em mais de 200 países.