IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Dólar à vista cai ante real em sintonia com o exterior

24/04/2023 17h22

Fabrício de Castro

SÃO PAULO, 24 Abr (Reuters) - O dia de agenda esvaziada no Brasil deixou o dólar livre para seguir a tendência vinda do exterior, onde a moeda norte-americana se mantinha em queda ante outras divisas de exportadores de commodities, na esteira de dados econômicos mais fracos nos Estados Unidos.

Pela manhã, o Federal Reserve de Chicago divulgou seu índice de atividade nacional, que cedeu 0,19 em março, a mesma queda registrada em fevereiro, enquanto as expectativas do mercado eram de uma baixa de 0,20. Já o Fed de Dallas divulgou seu índice de manufatura, que atingiu 0,9 em abril, numa queda inesperada ante os 2,5 de março.

Os indicadores deram suporte à visão de que não haveria tanto espaço para o Fed manter a taxa de juros em patamares elevados por muito tempo, o que trouxe um viés de baixa para o dólar ante outras divisas de exportadores de commodities.

O dólar à vista fechou o dia cotado a 5,0403 reais na venda, em baixa de 0,39%.

Na B3, às 17:21 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,26%, a 5,0450 reais.

No início da sessão, a moeda norte-americana chegou a subir ante o real, enquanto o dólar também se mantinha mais forte no exterior. Às 10h47 (horário de Brasília), a divisa marcou a máxima de 5,0870 reais (+0,54%) no Brasil.

Os dados divulgados nos EUA, no entanto, conduziram o dólar para o terreno negativo, sendo que o mercado brasileiro acompanhou. No meio da tarde, às 15h28, a moeda norte-americana marcou a mínima de 5,0378 reais (-0,43%).

“O dólar trabalhou hoje (segunda-feira) em margens estreitas, entre leves quedas e leves altas”, comentou Jefferson Rugik, diretor da Correparti Corretora. “No início do dia, subiu um pouco, mas depois passou a perder valor ante outras moedas emergentes. O Brasil respondeu a isso também.”

Rugik também identificou um fluxo de entrada da moeda norte-americana, com exportadores aproveitando as cotações mais elevadas para internalizar recursos.

Ainda assim, a sessão foi calma. Um operador pontuou que após a definição da Ptax diária –a taxa de câmbio calculada pelo Banco Central– a liquidez diminuiu.

No exterior, o dólar se mantinha em queda ante boa parte das divisas.

Às 17:21 (de Brasília), o índice do dólar --que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas-- caía 0,33%, a 101,350.

Pela manhã, o Banco Central vendeu todos os 16.000 contratos de swap cambial tradicional ofertados na rolagem dos vencimentos de junho.