IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Haddad diz que negociações sobre detalhes do arcabouço devem ser concluídas nesta 2ª

15/05/2023 13h21

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta segunda-feira que terá reunião ao longo do dia para acertar os detalhes do arcabouço fiscal, acrescentando que tudo indica que as negociações serão concluídas até o fim do dia.

"Esse vai ser um dia de muitas reuniões. Nós vamos ficar reunidos até o fim do dia para acertar os detalhes... Tudo indica que devemos concluir as negociações até o final da noite de hoje", disse Haddad a jornalistas em Brasília.

O ministro afirmou ainda que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse que só quer divulgar o texto da nova regra fiscal depois que líderes congressistas conhecerem seu conteúdo.

"Eu não vou me antecipar, porque é um assunto do Congresso Nacional. O que eu estou fazendo é colaborar com a equipe técnica para que eles tenham consciência sobre cada dispositivo e o impacto que vai ter no ano que vem, sempre buscando o equilíbrio entre o fiscal e o social", disse Haddad.

Ele acrescentou que colocou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a par dos detalhes em aberto no texto do arcabouço. Segundo Haddad, "são poucos detalhes e ele (Lula) deu as orientações".

Mais cedo, a assessoria do relator da proposta do novo arcabouço fiscal, deputado Cláudio Cajado (PP-BA), disse que ele deverá apresentar seu parecer em reunião com Lira e líderes partidários na noite desta segunda-feira.

A previsão era de que o texto fosse divulgado na última quinta-feira, mas isso foi adiado para esta semana após o relator se reunir com Lira em meio à falta de consenso sobre pontos da proposta para que ela vá a votação.

Nesta segunda pela manhã, Lula se reuniu no Palácio do Planalto com Haddad e os ministros da Casa Civil, Rui Costa; e das Relações Institucionais, Alexandre Padilha; entre outros. Além deles, Lula encontrou os líderes do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), e no Senado, Jaques Wagner (PT-BA).

Segundo uma fonte, o encontro serviu para discutir a nova regra fiscal, que busca impedir que os gastos federais cresçam mais do que a arrecadação.

(Por Victor Borges)