IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Ibovespa sobe mais de 1% com avanço de reforma no Congresso e dados nos EUA

07/07/2023 11h19

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista recuperava o viés positivo nesta sexta-feira após alguns ajustes na semana, com agentes financeiros repercutindo a aprovação do texto-base da reforma tributária pela Câmara dos Deputados, enquanto nos Estados Unidos a criação de empregos desacelerou mais do que o esperado em junho.

Às 11:10, o Ibovespa subia 1,12%, a 118.738,35 pontos. O volume financeiro somava 4,7 bilhões de reais.

Com tal desempenho, caminhava para um desempenho positivo na semana, com alta de 0,55% até o momento. Até véspera, contabilizava uma perda de 0,56%.

A aprovação do texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma tributária, que ainda terá destaques sendo analisados nesta sexta-feira antes de ser encaminhada ao Senado, ocorreu com ampla margem e é um primeiro passo histórico após décadas de discussão do tema no Congresso.

"As mudanças propostas têm o potencial de simplificar o sistema tributário, reduzir sua cumulatividade e mitigar a guerra fiscal no âmbito subnacional", afirmou a equipe do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco chefiado por Fernando Honorato Barbosa, em nota a clientes.

No exterior, a economia norte-americana abriu 209.000 vagas de emprego no mês passado, enquanto os dados de maio foram revisados para baixo. Economistas consultados pela Reuters previam criação de 225 mil empregos. A taxa de desemprego caiu para 3,6%, de 3,7% em maio.

De acordo com o estrategista-chefe da Avenue Securities, William Castro Alves, a criação de empregos foi menor que o esperado, o que pode ser visto como positivo, pois requer menos doses de juros olhando à frente. "No entanto, os salários seguem pressionados, o que é um risco para o controle da inflação."

Em Wall Street, o S&P 500 rondava a estabilidade.

DESTAQUES

- 3R PETROLEUM ON subia 6,47%, a 32,08 reais, após divulgar dados de produção de junho. A negociação dos papéis também tinha como pano de fundo a alta dos preços do petróleo no exterior. No setor, PETROBRAS PN mostrava elevação de 0,61% e PRIO ON tinha acréscimo de 1,76%.

- CIELO ON avançava 5,64%, a 4,68 reais. Analistas do BTG Pactual reuniram-se na véspera com executivos da empresa, incluindo o CEO, e afirmaram que a mensagem passada por eles foi construtiva e que enfatizaram que a Cielo continuará a ser mais racional e focada em rentabilidade.

- MAGAZINE LUIZA ON valorizava-se 2,86%, a 3,24 reais, em dia de recuperação, após fechar na véspera com queda de 7,6%. Entre as varejistas, VIA ON era negociada em alta de 1,93%, a 2,11 reais. O desempenho dos papéis era beneficiado pelo alívio na curva de juros local.

- GPA ON avançava 3,08%, a 20,72 reais, com o papel ainda reagindo a expectativas envolvendo sua fatia no Éxito. Também no radar está o seu controlador, o francês Casino, que alertou recentemente sobre o aumento do risco de "default", enquanto negocia com credores e analisa ofertas.

- ITAÚ UNIBANCO PN ganhava 2,24%, a 29,24 reais, respondendo por um relevante suporte ao desempenho do Ibovespa, com BRADESCO PN, em alta de 1,42%, a 16,4 reais, ajudando. BANCO DO BRASIL ON avançava 2,37% e SANTANDER BRASIL UNIT subia 1,45%.

- VALE ON caía 0,51%, a 64,52 reais, entre as poucas baixas do dia, uma vez que os futuros de minério de ferro recuaram na China. O contrato mais negociado na Dalian Commodity Exchange encerrou as negociações diurnas com queda de 1,9%, a 812,50 iuanes (112,16 dólares) por tonelada métrica.

(Por Paula Arend Laier)