Ibovespa recua puxado por Vale, Petrobras e com dados inflacionários no radar

Por Patricia Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa recuava nesta segunda-feira, em meio à queda em papéis de empresas ligadas a commodities, enquanto investidores calibravam as expectativas em relação ao Federal Reserve, em semana que contempla divulgação de dados de inflação nos Estados Unidos e no Brasil.

Às 11h35, o Ibovespa caía 0,28%, a 131.646,99 pontos. O volume financeiro somava 2,9 bilhões de reais.

As ações de Petrobras e Vale eram a principal contribuição negativa ao índice, enquanto BANCO DO BRASIL ON estava na ponta contrária.

"Especificamente para hoje, essa abertura do Ibovespa (no negativo) tem um pouco a ver com a queda do petróleo" afirmou o gestor de fundos de ações e multimercados da Daycoval Asset, Anand Kishore.

Os preços do petróleo recuavam mais de 3% nesta segunda-feira, após a Arábia Saudita, importante exportador, reduzir seus preços em meio a preocupações sobre o excesso de oferta.

Um dos principais pontos no foco do mercado nesta semana são os dados do índice de preços ao consumidor de dezembro nos EUA, na quinta-feira, quando agentes financeiros tentarão avaliar melhor a trajetória da política monetária, além do início da temporada de balanços norte-americana, na sexta-feira.

Na visão do analista da Buena Vista Capital, Renato Nobile, o mercado está em "compasso de espera" pelos indicadores norte-americanos, e também segue tendência negativa observada na semana passada, quando o índice acumulou declínio de 1,61%.

No cenário doméstico, boletim Focus mostrou melhora na projeção do mercado para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2024, com especialistas consultados prevendo crescimento de 1,59%, ante 1,52% anteriormente. Na quinta-feira, o IBGE divulga dado de dezembro e de 2023 do IPCA.

Continua após a publicidade

DESTAQUES

- PETROBRAS PN caía 1,76%, a 38,04 reais e PETROBRAS ON cedia 2,23%, a 39,49 reais, em sessão negativa para os preços do petróleo no exterior. Ainda no setor. PRIO ON caía 2,99%, a 44,70 reaise PETRORECONCAVO ON mostrava decréscimo de 1,85%, a 20,71 reais, distanciando-se das rivais, 3R PETROLEUM ON valorizava-se 0,34%, a 26,24 reais.

- VALE ON caía 1,06%, a 73,86 reais, diante de recuo dos futuros do minério de ferro no exterior, com o contrato mais negociado na Dalian Commodity Exchange, da China, encerrando as negociações com queda de 1,1%, a 992,5 iuans (138,65 dólares) a tonelada, o menor valor desde 2 de janeiro. No setor de mineração e siderurgia, CSN ON caía 0,94%, a 19,06 reais, USIMINAS PNA perdia 0,78%, a 8,85 reais e GERDAU PN avançava 0,30%, a 23,23 reais.

- ITAÚ UNIBANCO PN caía de 0,30%, a 33,60 reais, enquanto BRADESCO PN subia 0,47%, a 16,96 reais.

- ELETROBRAS ON caía 0,53%, a 41,04 reais. Na semana passada, a companhia elétrica informou que estava adotando todas as medidas cabíveis para a preservação de seus interesses após suspensão de assembleia geral extraordinária convocada para 29 de dezembro, para decidir sobre a incorporação de Furnas pela companhia.

- WEG ON caía 0,42%, a 35,82 reais, chegando a mínima intradia de 35,64 reais, em um início de 2024 com tom ainda negativo. No ano, o papel acumula queda de mais de 3%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes