PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Deputados americanos aprovam fundo de US$ 40 bilhões para ajudar Ucrânia

RFI*

11/05/2022 07h18

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou ontem uma ajuda de US$ 40 bilhões à Ucrânia, após o alerta do presidente americano, Joe Biden, de que Kiev estaria ficando sem fundos para enfrentar a Rússia.

A assistência militar, humanitária e econômica foi aprovada por 368 votos a 57 de deve ser analisada pelo Senado na próxima semana. "Com este programa de ajuda, os Estados Unidos enviam ao mundo um sinal da nossa sólida determinação de apoio ao corajoso povo da Ucrânia até a vitória", ressaltou a democrata Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes, em carta aos deputados.

O pacote inclui US$ 6 bilhões que permitirão à Ucrânia comprar veículos blindados e fortalecer sua defesa antiaérea diante dos combates no leste e sul do país. Uma parte dos recursos garantirá "a continuidade das instituições democráticas ucranianas" para enfrentar a invasão iniciada pelo presidente russo, Vladimir Putin, em 24 de fevereiro. O pacote também prevê recursos para ajuda humanitária.

Durante várias semanas, Biden pediu ao Congresso americano US$ 33 bilhões para ajudar a Ucrânia. Na noite de segunda-feira, os líderes democratas e republicanos chegaram a um acordo e fecharam um compromisso próximo dos US$ 40 bilhões.

"Aprovar esse financiamento de emergência rapidamente é essencial para ajudar o povo ucraniano em sua luta contra Putin", insistiu o líder dos democratas no Senado, Chuck Schumer, nesta terça-feira. O Congresso é palco de disputas políticas entre democratas e republicanos, mas, desta vez, as medidas contam com um apoio bipartidário muito amplo.

Urgência

Em um comunicado divulgado nesta segunda-feira, Biden insistiu para que o Congresso vote "imediatamente" este financiamento. Há, segundo o Executivo norte-americano, urgência. "Avaliamos que o presidente Putin está se preparando para um conflito prolongado na Ucrânia", disse a diretora do Serviço Nacional de Inteligência, Avril Haines, em audiência no Capitólio, sede do Congresso.

Ela acrescentou que o presidente russo provavelmente espera uma redução do apoio do Ocidente para Kiev.

Tradicional aliado na política externa dos presidentes norte-americanos, o Congresso americano já liberou quase US$ 14 bilhões para a crise da Ucrânia em meados de março, após o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, comparar o conflito ao ataque a Pearl Harbor e aos atentados do 11 de setembro de 2001.

Biden promulgou na segunda-feira a criação de um programa que facilitará aos EUA o envio de equipamento militar para a Ucrânia, mais de 80 anos depois de um plano similar ter iniciado a participação americana na Segunda Guerra Mundial.

A guerra na Ucrânia continua provocando escassez de alimentos e inflação e aumenta o preço da energia em todo mundo.

Ucrânia pode retomar controle em Kharhiv

A segunda maior cidade da Rússia, sitiada desde fevereiro, pode retornar ao controle ucraniano. A afirmação foi feita pelas autoridades ucranianas na noite de terça para quarta-feira. O conflito pode se estender ao sudoeste do país, de acordo com o governo americano.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

"Nossas Forças Armadas nos trazem boas notícias de Kharkiv. Os ocupantes estão sendo progressivamente expulsos", disse o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em um vídeo.

De acordo com as Forças Armadas ucranianas, as cidades de Cherkasy Tychky, Rusky Tychky, Roubijné et Bayrak foram liberadas, mas os bombardeios aumentaram no distrito de Kharkiv, há semanas atingida por foguetes, o que vem causando a morte de milhares de civis.

* Com informações da AFP