Ibovespa sobe com ganho de ações de commodities

A alta no preço das ações de commodities fez com que o Ibovespa fechasse em alta de 0,64% aos 65.100 pontos. O giro financeiro continua baixo devido às férias no Hemisfério Norte e à instabilidade política, que inibem estratégias de longo prazo. O movimento financeiro ficou em R$ 4,8 bilhões, abaixo da média diária do ano, que é de R$ 6,1 bilhões.


Juntas, as ações da Vale e da Petrobras - principais papéis do setor de commodities - respondem por 17,07% da composição do Ibovespa. O movimento de alta do índice só não foi maior porque os papéis do sistema financeiro, que têm participação de 24,83% na composição do índice, tiveram um desempenho mais fraco.


As unit do Santander recuaram 2,43% e os papéis do Banco do Brasil caíram 1,12%. As ações ordinárias do Bradesco tiveram leve alta de 0,64% e os papéis preferenciais do banco subiram 0,85%. As ações preferenciais do Itaú Unibanco tiveram alta de 0,63%.


Muitos investidores estariam vendendo as ações do banco espanhol, que são um pouco mais caras do que seus pares, para comprar os papéis do Itaú e do Bradesco ou montar posições do tipo long-short, segundo traders e analistas. O Bradesco divulga o balanço financeiro do segundo trimestre na quinta-feira e o Santander anuncia os resultados na sexta-feira.


As ações da Vale e da Petrobras subiram acompanhando a valorização das commodities no mercado internacional. As ações PNA tiveram alta de 2,51% e os papéis ordinários ganharam 2,21%. O preço do minério de ferro subiu 1,07%, em Qingdao, na China, para US$ 67,86 a tonelada. As demais ações do setor de siderurgia subiram influenciadas pelo ganho do minério de ferro. As ações da Gerdau Metalúrgica subiram 4,18%, a maior alta do Ibovespa. Os papéis da CSN tiveram alta de 3,12% e as ações da Gerdau ganharam 2,53%.


As ações preferenciais da Petrobras ganharam 1,50% e os papéis ordinários tiveram valorização de 1,05%. Os contratos futuros de petróleo WTI com vencimento em setembro fecharam com alta de 1,25% a US$ 46,34 o barril. A alta no preço do petróleo ocorreu depois que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) informou que está contemplando um endurecimento das regras contra os países que não estão cumprindo os cortes de produção prometidos.


A Petrobras ingressou com um recurso contra a decisão do Tribunal Federal de Apelações do Segundo Circuito de Nova York que determinou a continuidade da tramitação da ação coletiva em que investidores pedem reparação à companhia. Até agora, a Petrobras fechou acordo com 19 das 27 ações individuais nas quais investidores pedem ressarcimento por desvios ocorridos na companhia que foram apurados no âmbito da Operação Lava-Jato. A estatal deverá pagar US$ 445 milhões por esses acordos.


As ações ligadas ao setor de consumo também fecharam em alta no pregão de hoje. Os papéis do Pão de Açúcar subiram 3,32% e as ações da Cyrela ganharam 1,81%. A expectativa de que o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) corte os juros em um ponto percentual para 9,25% ao ano, na quarta-feira, favorece o desempenho desses papéis. Uma redução no custo do crédito favorece o aumento das compras e a redução da dívida das empresas.


Fora do Ibovespa, as ações ordinárias da Paranapanema subiram 15,44% para R$ 1,72. A empresa anunciou na sexta-feira que vai receber um aporte de R$ 66 milhões da comercializadora de commodities Glencore dando em troca uma participação de cerca de 5% no seu capital.


A Triunfo, que entrou com pedido de recuperação extrajudicial para reestruturar R$ 2,1 bilhões em dívidas, caiu 17,21% e valia R$ 3,56. As ações vão deixar de fazer parte do Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGCX), do Índice de Ações com Governança Corporativa - Novo Mercado (IGNM) e do Índice de Ações com Tag Along Diferenciado (ITAG), o que leva os fundos que seguem essas carteiras a se desfazer dos papéis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos