PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Voos cancelados pela covid-19: veja a situação de aéreas que voam no Brasil

Alexandre Saconi
Imagem: Alexandre Saconi

Alexandre Saconi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/03/2020 10h58

As companhias aéreas mundo afora têm reduzido drasticamente o número de voos, tanto nacionais quanto internacionais, devido à pandemia de coronavírus. Diversas empresas já não voam mais para os aeroportos do Brasil, e o ritmo dos voos domésticos também caiu abruptamente.

As poucas rotas internacionais mantidas servem, principalmente, para repatriar cidadãos que estão em outros países e desejam retornar para casa. A maioria dos voos internacionais estarão suspensos em abril, com possibilidade de prorrogação, com o objetivo de evitar a disseminação do coronavírus.

Muitas empresas têm flexibilizado suas políticas de remarcação e reembolso de passagens para poderem dar conta da procura e evitar as perdas financeiras. Mas essas políticas e as rotas operando estão mudando com muita frequência, o que exige dos viajantes acompanhamento constante junto às empresas.

Veja abaixo a situação das companhias aéreas que operam no Brasil.

Abaeté

A Abaeté recebeu a autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para operar voos domésticos, e tinha previsão de iniciar as operações ainda agora em março, segundo o sócio-diretor Tiago Tosto. Mas, com a crise, o começo dos voos regulares da empresa teve de ser postergado.

"Estávamos na reta final para começar a voar e aconteceu essa situação [a crise devido à covid-19]. Nosso projeto é voltar a voar o quanto antes, ainda antes do próximo verão", disse Tosto.

Azul

A Azul irá operar apenas 70 voos diários para 25 cidades dentro do Brasil até o dia 30 de abril. A medida, que teve início em 25 de março, abrange as cidades de Campinas (SP), Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Belém (PA), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Fernando de Noronha (PE), Fort Lauderdale (EUA), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), Manaus (AM), Montes Claros (MG), Orlando (EUA), Palmas (TO), Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO), Rio de Janeiro - Santos Dumont (RJ), São Luís (MA), Salvador (BA), Tefé (AM), Tabatinga (AM), Uberlândia (MG) e Vitória (ES).

A empresa está entrando em contato com os clientes com voos marcados para avisar sobre alterações e as possibilidades de remarcação ou reembolso.

Mais informações, no site da companhia.

Gol

A partir de 28 de março, a Gol passará a operar 50 voos diários, concentrados no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, conectando todos os estados brasileiros. A medida deve durar, inicialmente, até o dia 3 de maio.

A empresa suspendeu todos os voos internacionais, e reduziu em cerca de 92% a oferta nos voos domésticos.

Latam

A Latam anunciou, no dia 16 de março, uma redução de 90% no total de suas operações internacionais e de 40% nas operações domésticas do grupo no Brasil, Chile, Argentina, Peru, Colômbia e Equador.

A empresa diz que todos os passageiros com voos nacionais ou internacionais afetados poderão reprogramar seus bilhetes até 31 de dezembro, sem custos adicionais. A companhia está priorizando o atendimento dos passageiros entrando em contato até 48 horas antes de seus voos agendados.

Também é possível remarcar os bilhetes diretamente no site da empresa.

Todas as regras flexibilizadas pela companhia podem ser consultadas aqui.

Voepass e MAP

A Voepass suspendeu suas operações por um período de cerca de três meses a partir do dia 23 de março. A empresa controla a MAP, que também suspendeu os voos pelo mesmo período. As empresas atendem, juntas, 45 destinos no Brasil.

Elas estão permitindo que os passageiros remarquem seus bilhetes, sem custo ou taxa extra, para qualquer voo futuro das companhias. Também é possível transformar o valor da passagem em crédito para uso até um ano da data original do voo.

A previsão inicial é a de que as operações sejam retomadas na primeira quinzena de junho.

Aerolineas Argentinas

A empresa suspendeu todos os voos entre o Brasil e Argentina desde o dia 19 de março em decorrência da quarentena decretada pelo governo local.

Mais informações sobre reembolsos e remarcações podem ser obtidas no site da empresa.

Aeromexico

A empresa irá operar voos, em dias alternados, partindo do aeroporto de Guarulhos com destino à Cidade do México, até o dia 3 de abril. Após essa data, todas as decolagens estarão suspensas até o dia 20 de abril, quando há a previsão de que os voos sejam retomados gradualmente.

Air Canada

A Air Canadá irá reduzir sua operação internacional em todo o mundo até o dia 31 de março. A empresa realiza, no dia 27 de março, suas últimas operações no Brasil. A suspensão de voos entre Toronto e São Paulo começa no dia 28 de março e se estende, inicialmente, até o dia 30 de abril.

Air China

A reportagem não conseguiu entrar em contato com a empresa, mas confirmou que voos partindo de Pequim (China) com destino a São Paulo, com escala em Madri (Espanha), ainda estavam sendo realizados nos últimos dias, mas que o último voo, com previsão de chegada para esta quinta-feira (26), foi cancelado pela companhia.

Air Europa

Todas as rotas para o Brasil estarão suspensas entre os dias 1º e 30 de abril. A empresa ainda realiza alguns poucos voos programados nas rotas que ligam Madri a Salvador (BA), Recife (PE) e Guarulhos (SP), mas não há mais venda de bilhetes de voos programados até o final de maio.

As políticas de reembolso e remarcação de voos da empresa podem ser consultadas aqui.

Air France

A companhia francesa suspendeu os voos para Fortaleza (CE) no dia 22 de março, e ficará sem voar no estado até o dia 3 de maio. A operação no Rio de Janeiro e São Paulo será mantida, mas com ajustes. Até o dia 3 de maio, serão três voos semanais partindo de cada localidade com destino a Paris.

Segundo a empresa, se o cliente tiver um bilhete para voar até 31 de maio de 2020, independentemente do destino, terá até 30 de setembro de 2020 para adiar a data de voo sem taxas. A nova viagem deve ocorrer até 30 de novembro de 2020.

Caso o passageiro opte pelo cancelamento do bilhete e comprou a passagem com partida marcada para antes de 31 de maio de 2020, terá direito a um voucher no valor da passagem, que não poderá ser reembolsado e terá a validade de um ano em todos os voos da Air France e da KLM, companhia que pertence ao grupo.

Alitalia

O voo que liga Roma a São Paulo continua em operação normal, diz a empresa italiana. No site da Alitalia foi disponibilizada uma página específica para quem quiser remarcar ou pedir o reembolso da passagem aqui. A empresa não informou quais rotas estão mantidas ou quando poderão ser suspensas.

Amaszonas

A Amaszonas irá interromper a operação de voos da Bolívia que atendem os aeroportos de Foz do Iguaçu e do Galeão (Rio de Janeiro) entre os dias 1º de abril e 2 de junho. Até lá, os voos estão programados para ocorrerem normalmente, mas a empresa permite reembolso ou alteração no bilhete sem cobrança de multa ou de diferença tarifária.

American Airlines

A American Airlines suspendeu todos os voos no Brasil desde o dia 16 de março. Segundo a empresa, a redução no total de seus voos internacionais chegou a 75% em comparação com 2019. A aérea operava rotas de Miami, Nova York, Dallas e Los Angeles para diversos destinos no Brasil.

A previsão inicial é a de que a suspensão dure até o dia 6 de maio.

Quem tem bilhetes comprados pode consultar as últimas atualizações sobre remarcações e reembolsos aqui.

Avianca

A Avianca suspendeu todos os seus voos internacionais entre os dias 23 de março e 1º de maio, data na qual deve começar a retomar gradualmente as operações. A companhia aérea centenária disse em comunicado que quase 12 mil de seus funcionários tiraram licença não-remunerada.

Os passageiros afetados pela paralisação das operações que compraram a passagem diretamente com a Avianca podem alterar a data do voo no site da companhia sem custos. Quem não tem uma nova data para viajar pode optar por receber um voucher no mesmo valor do bilhete para ser utilizado em outra viagem.

Mais informações sobre as políticas de reembolso e cancelamento podem ser obtidas aqui.

Avior

A aérea venezuelana suspendeu todos os voos entre os dias 17 de março e 18 de abril. A empresa liga a capital da Venezuela, Caracas, a Manaus (AM).

Boliviana de Aviación

A companhia Boliviana de Aviación suspendeu todas as suas operações até o dia 5 de abril, inicialmente em função do fechamento de fronteiras e quarentena decretada pelo governo da Bolívia.

Em comunicado, a empresa diz que passageiros afetados devem procurar mais informações e acompanhar o status dos voos no site companhia.

British Airways

Os voos entre São Paulo e Londres serão mantidos apenas até o dia 31 de março. Após essa data, a empresa irá suspender totalmente sua operação no Brasil.

Mais informações podem ser acompanhadas no site da companhia aérea.

Cabo Verde Airlines

A companhia africana suspendeu, no dia 18 de março, todas as suas operações por um prazo inicial de 30 dias. A aérea conecta Cabo Verde às cidades brasileiras de Recife, Fortaleza e Porto Alegre. A empresa disponibilizou uma página para tirar as dúvidas dos passageiros.

Copa

O governo do Panamá, onde fica a sede da companhia, determinou a suspensão de todos os voos internacionais entre os dias 22 de março e 21 de abril em decorrência da pandemia do coronavírus. A empresa flexibilizou as regras de alteração dos bilhetes para quem efetuar a compra até 31 de março e quiser alterar a data do voo ou pedir reembolso. Clique aqui para mais informações.

Delta Air Lines

A companhia aérea norte-americana não suspendeu nenhum dos seus voos para o Brasil até o momento. Atualmente, a Delta opera rotas diárias que ligam os aeroportos brasileiros de São Paulo e Rio de Janeiro à cidade de Atlanta, além de São Paulo a Nova York.

A companhia recomenda que quem for voar consulte antes a página da empresa para se informar sobre os voos que possam ter sido cancelados.

Quem comprou bilhete para viajar entre março e abril poderá viajar até o dia 31 de dezembro mediante remarcação. A regra é válida desde que a passagem não tenha sido comprada nesse mês de março, quando foi declarada a pandemia da covid-19.

A Delta ainda diz que, "mesmo que o cliente não possa entrar em contato com a Delta antes da sua partida programada e não compareça ao voo, todas as alterações serão processadas e o número do seu bilhete, dentro de 24 horas, se tornará automaticamente um crédito não utilizado, que poderá ser usado para reservar um novo bilhete".

Para mais informações sobre a remarcação de voos, clique aqui.

Edelweiss

Segundo comunicado no site da empresa, a aérea suíça Edelweiss suspendeu todos os voos da rota entre Zurique (Suíça) e o Rio de Janeiro.

Emirates

A Emirates suspendeu todos os seus voos desde o dia 25 de março. Os passageiros com bilhetes emitidos até o dia 31 de março e que tenham a data de viagem agendada para até o dia 30 de junho de 2020 podem remarcar os voos para qualquer destino da Emirates dentro da mesma região sem nenhum custo extra. A medida é válida apenas para viajantes que tenham sido afetados por uma das seguintes condições:

  • Proibição de viagem: onde houver notificação do governo proibindo viagens
  • Alerta de viagem: alerta geral do governo contra viagens não essenciais
  • Requisitos de quarentena: quarentena obrigatória na origem ou no destino
  • Bloqueio obrigatório: países nos quais o governo declarou bloqueio obrigatório e, portanto, os clientes não conseguem chegar ao aeroporto
  • Cancelamento de voo: voos cancelados pela Emirates

Clique aqui para acompanhar as atualizações fornecidas pela empresa.

Ethiopian Airlines

As rotas da empresa entre o Brasil e Adis Abeba continuam operando normalmente. A rota entre São Paulo e Buenos Aires será suspensa a partir do dia 30 de março, e será operada apenas para repatriar argentinos e residentes que estejam no Brasil, e brasileiros e residentes que estejam na Argentina.

Quem tem viagem marcada entre os dias 1º de março e 30 de junho pode efetuar uma nova reserva para voar até 31 de dezembro de 2020 ou optar por receber créditos para futuras viagens, válidos por um ano a partir da data de emissão.

Clique aqui para mais informações.

Flybondi

A low cost argentina suspendeu suas operações até 30 de abril, o que inclui as rotas que ligam Buenos Aires a São Paulo e Rio de Janeiro. A empresa irá fornecer vouchers para os passageiros que possuem voos marcados para o período em que a suspensão estará em vigor. A validade dos vouchers será de um ano para reagendar voos a partir de 30 de abril.

A Flybondi permite que as remarcações de passagens de voos afetados sejam feitas diretamente no site da empresa, sem pagamento de multa, até o dia 30 de abril. Se houver diferença no valor da tarifa, o passageiro deverá pagar esse valor para remarcar o voo. Clique aqui para mais informações.

Iberia

A companhia Iberia suspenderá todos os voos entre o Brasil e Espanha a partir de abril. A rota entre Rio de Janeiro e Madri já está suspensa, e os voos entre os aeroportos de Guarulhos (SP) e o da capital espanhola serão mantidos até 31 de março, com o objetivo de garantir a repatriação da população.

JetSmart

A empresa vem alterando sua malha de voos ao Brasil desde o fechamento da fronteira do Chile, decretada nos últimos dias. Os voos que ligam Santiago a Salvador e Foz do Iguaçu estão suspensos.

A ultra low cost chilena adiou o início de suas operações entre a capital Santiago e São Paulo nesse mês de março devido à covid-19. A nova data para início das operações da rota está marcada para setembro de 2020.

A companhia disponibiliza mais informações sobre remarcação e reembolso de passagens no seu site. Também é possível acompanhar a situação dos voos aqui.

KLM

A holandesa KLM, pertencente ao mesmo grupo da Air France, suspenderá todos os voos para Fortaleza (CE) a partir de 22 de março. A operação no Rio de Janeiro será suspensa entre os dias 30 de março e 3 de maio. Entre 30 de março e 3 de maio, os voos ligando São Paulo e a Holanda passarão a ter duas frequências semanais apenas.

Segundo a empresa, se o cliente tiver um bilhete para voar até 31 de maio de 2020, independentemente do destino, terá até 30 de setembro de 2020 para adiar a data do voo sem taxas. A nova viagem deve ocorrer a partir de 30 de novembro de 2020.

Caso o passageiro opte pelo cancelamento do bilhete e comprou a passagem com partida marcada para antes de 31 de maio de 2020, terá direito a um voucher do valor da passagem, que não poderá ser reembolsado e terá a validade de um ano em todos os voos da KLM.

Lufthansa

O grupo alemão Lufthansa suspendeu diversas frequências entre o Brasil e a Alemanha de todas suas empresas, que inclui a companhia aérea Swiss, e manteve apenas três voos semanais na rota entre Frankfurt e São Paulo. A empresa diz que não há data para o término da suspensão dos voos.

Quem comprou passagens antes de 5 de março para voar até o dia 30 de abril terá condições especiais para alterar a data dos bilhetes. "Os clientes podem remarcar seus voos para uma nova data até 31 de dezembro 2020 sem o pagamento de taxas, independente das condições originais da reserva realizada. É importante ressaltar que os passageiros terão até 31 de agosto para definir uma nova data de viagem", disse a Lufthansa em nota.

Norwegian

Todos os vos intercontinentais da Norwegian foram cancelados, afetando a rota Londres-Rio de Janeiro. A empresa irá suspender o contrato de trabalho de maneira temporária de 7.300 funcionários e teve de cancelar 85% de seus voos para passar pela crise causada pela pandemia do coronavírus.

Mais informações sobre cancelamentos, remarcações e reembolsos podem ser encontrados no site da empresa.

Qatar Airways

A empresa continua a operar em cerca de 70 cidades mundo afora, incluindo o voo que liga São Paulo a Doha diariamente.

Quem comprou a passagem para voar até 30 de setembro diretamente com a companhia pode reagendar o voo para uma data posterior com um adicional de 10% sobre o valor da passagem ou pedir o reembolso. Veja as condições no site da empresa.

Royal Air Maroc

Todos os voos da companhia estão suspensos por recomendação do governo do Marrocos. A empresa possibilita uma alteração gratuita da passagem comprada até o dia 31 de março para uma nova data de viagem, que deve ocorrer até o dia 31 de outubro, no mesmo destino e na mesma classe tarifária do voo. Clique aqui para mais informações.

Sky

Devido ao fechamento das fronteiras do Chile aos estrangeiros, desde o dia 18 de março, a Sky flexibilizou a política de remarcação e reembolso de passagens. Todos os passageiros afetados com reservas confirmadas entre os dias 26 de fevereiro e 31 de março poderão pedir a remarcação ou pedir reembolso, que será feito por meio de voucher, a ser utilizado até o dia 30 de novembro. Mais informações no site da empresa.

South African Airways

A South African Airways já havia anunciado anteriormente à pandemia de coronavírus que iria interromper suas operações no Brasil. O último voo da empresa decolaria do país no dia 31 de março rumo à África, e não retornaria mais, já que a companhia passa por uma profunda crise financeira.

No dia 20 de março, frente à crise causada pelo novo coronavírus, a companhia suspendeu sua operação totalmente, recomendando aos estrangeiros que busquem alternativas aos voos em outras empresas.

Surinam Airways

Desde o dia 16 de março, a Surinam Airways apenas opera voos para repatriar cidadãos do país sul-americano. A empresa operava no Brasil a rota entre Belém (PA) e Paramaribo, capital do Suriname.

TAAG — Linhas Aéreas de Angola

Todos os voos da empresa entre Luanda e São Paulo foram suspensos no dia 20 de março. A previsão é que as rotas possam voltar a operar na primeira quinzena de abril.

TAP

Até o dia 30 de abril, a companhia portuguesa manterá dois voos semanais na rota Lisboa-São Paulo e um voo semanal na rota Lisboa-Rio de Janeiro. Após essa data, a empresa manterá apenas voos em São Paulo, com duas frequências semanais. Todas as demais rotas estarão suspensas até o dia 4 de maio.

Clique aqui para mais informações sobre as rotas mantidas pela empresa.

Turkish Airlines

A partir do dia 27 de março, a Turkish Airlines irá suspender todos os seus voos internacionais para o Brasil e para o resto do mundo. A medida durará, inicialmente, até o dia 17 de abril. Quem quiser remarcar os bilhetes comprados para o período ou preferir o reembolso deve consultar as condições no site da companhia.

United Airlines

A United Airlines irá manter a rota que liga São Paulo a Houston (EUA) até o dia 30 de abril com a frequência diária de um voo. As decolagens partindo de São Paulo com destino a Newark (EUA) ocorrem normalmente até o dia 28 de março. Os voos que ligam o Rio de janeiro a Houston e São Paulo a Washington e Chicago já estão suspensos.

A empresa está priorizando o reembolso de passagens com a data de viagem próxima. Em caso de dúvidas, é possível consultar a página da empresa específica para clientes brasileiros.

Virgin Atlantic

A Virgin Atlantic iniciaria sua rota ligando a cidades de São Paulo e Londres (Inglaterra) no dia 29 de março, mas teve de suspender a data devido à pandemia de coronavírus. A empresa escolheu como nova data para o início das operações o dia 5 de outubro.

A companhia disponibilizou o telefone 0800 728 1433 para atender aos clientes com voos marcados para o período em que as operações foram suspensas.

Todos a Bordo